Blog do Perrone

Em crise, São Paulo tem sete atletas do mesmo empresário

Perrone

Aloísio é um dos jogadores de Uram no São Paulo

A crise são-paulina coincide com a aposta da diretoria em uma série de jogadores do mesmo empresário, Eduardo Uram. O clube tem sete atletas ligados ao agente. Entre eles, dois estavam na leva de sete afastados após as eliminações no Paulista e na Libertadores, no início da derrocada tricolor. Eles são Cortez, emprestado ao Benfica, e João Filipe.

Juan, outro que tem vínculo com o agente, perdeu espaço desde a chegada de Paulo Autuori. Na última partida, contra a Lusa, Aloisio foi o único atleta empresariado por Uram a atuar pelo time do Morumbi. Ele recebe críticas de dirigentes nos bastidores por colocar a mão na bola anulando o que seria um gol de falta marcado por Ganso.

Edson Silva, Maicon e Carleto completam a relação de  são-paulinos que têm vínculo com Uram.  “O volume de jogadores que tenho no São Paulo se deve ao bom relacionamento que mantenho com o clube desde 2001. Em nenhum momento fui favorecido pelo São Paulo. Pelo contrário, favoreci o clube por causa da nossa boa relação. Levei para lá jogadores que muitas equipes queriam”, disse Uram.

Como exemplo, ele cita Cortez, que havia sido eleito o melhor lateral esquerdo do Brasileiro quando foi vendido pelo Botafogo ao São Paulo. Além de ser empresário dos atletas, Uram tem participação nos direitos de Cortez, Maicon, Edson Silva e Aloísio.

A relação de jogadores do agente no Morumbi seria maior se Cícero não tivesse deixado o clube em janeiro. O São Paulo não teve interesse em continuar com ele.

Entre os principais clubes do Brasil, só o Flamengo tem mais jogadores vinculados a Uram do que o São Paulo, segundo dados do site da Brazil Soccer, empresa do agente. Ela registra dez atletas no rubro-negro.

O Santos, outro paulista em crise, tem cinco jogadores ligados  a Uram, conforme indica a página de sua empresa: Guilherme Santos, colocado para treinar separadamente em julho, Galhardo, Renê Júnior, Cícero e o volante Raphael Santos, das categorias de base.

Uram ganhou projeção no Rio de Janeiro, com espaço principalmente no Flamengo. Hoje tem atletas em todos os principais times brasileiros.