Blog do Perrone

Arquivo : Bahia

Contrato de TV: cinco rivais se unem para tentar alcançar Corinthians e Fla
Comentários Comente

Perrone

Com Napoleão de Almeida, colaboração para o UOL em Curitiba

Cinco clubes da Série A que têm contrato com o Esporte Interativo para transmissão de jogos do Brasileirão por TV fechada a partir de 2019 discutiram nesta sexta durante reunião no Palmeiras uma estratégia para ficarem mais fortes nas próximas negociações de contrato. O objetivo é equilibrar o jogo com Flamengo e Corinthians, tradicionalmente donos das maiores cotas de televisão.

Além do alviverde, Santos, Coritiba, Atlético-PR e Bahia participaram do encontro. A estratégia deles é fazer as próximas negociações em bloco. Todos teriam uma só posição, o que em tese aumentaria o poder do grupo. A ideia é atrair os demais times que fecharam com o EI, que também participou da reunião para tratar de assuntos ligados ao seu acordo.

O raciocínio é que se estiverem separados no mercado, Flamengo e Corinthians continuarão tendo mais peso nas tratativas com as emissoras por terem as maiores torcidas do país.

O primeiro teste da nova tática deve ser a negociação da transmissão pelo pay-per-view. Os cinco clubes combinaram de negociar em conjunto. Eles já decidiram que não aceitam as pesquisas com assinantes como um dos critérios para dividir as cotas, método previsto no acordo atual com a Globosat. A ideia é que todos compradores de pacotes declarem seus times para dar mais precisão ao levantamento. Acreditam que dessa forma, a diferença para Flamengo e Corinthians vai cair.

Outra briga será para que a emissora que fechar contrato aumente a participação dos clubes na arrecadação obtida com o pay-per-view. Hoje, eles ficam com cerca de 30% da receita. A fatia maior beneficiaria a todos, incluindo os que não estiverem negociando em bloco.

Entre alguns dos participantes, o projeto é visto como uma tentativa de reconstruir o que foi destruído com o fim do Clube dos 13, entidade que era encarregada de negociar os contratos de transmissão pela TV. Em 2011, o Corinthians, presidido por Andrés Sanchez, liderou a implosão do C13 ao sair dele para negociar separadamente seus contratos. Dessa forma, conseguiu um trato muito mais vantajoso. O mesmo aconteceu com o Flamengo.

Outras tentativas de uma nova união entre os clubes já foram feitas, mas todas sem sucesso.

A próxima reunião para debater esse posicionamento unificado está prevista para 15 de março, em Santos.


Cartolas que fecharam com EI agora dizem não temer retaliação da Globo
Comentários Comente

Perrone

Com Felipe Pereira, do UOL Esporte, em São Paulo

Durante as negociações com o Esporte Interativo (EI) tanto clubes que aceitaram a proposta da emissora como os que a recusaram repetiram o mantra de que temiam represálias da Globo. Porém, agora que o acordo para a transmissão dos jogos do Brasileiro em TV fechada entre 2019 e 2024 foi oficialmente anunciado, o discurso mudou.

Os cartolas que acertaram com o EI passaram a afirmar que não existirão retaliações, como a Globo deixar de passar partidas de seus times na TV aberta. Ou oferecer a eles contratos ruins. Por sua vez, a Globo sempre negou a possibilidade de vingança.

“Nas semifinais do Paulista, a Globo vai passar na TV aberta Santos x Palmeiras. Isso é uma prova de que não tem retaliação”, disse Modesto Roma Júnior, presidente santista e cartola que mais havia afirmado temer represálias. Vale lembrar que o Palmeiras ainda não decidiu com quem fará acordo.

“Eles entenderam que o cenário mudou e que não adiantaria retaliar”, declarou Mário Celso Petraglia, presidente do Atlético-PR.

“O Bahia é líder de audiência no Estado com larga vantagem sobre o segundo colocado. Você acha que a Globo vai deixar de fora nossos jogos?”, afirmou Marcelo Sant’Ana, presidente do Bahia.

Vitório Piffero, do Internacional, foi na mesma linha. “Eles não fariam isso com milhões de telespectadores. Não seria inteligente”, disse.

Quem trata com os cartolas sobre transmissão também notou a mudança do sentimento deles em relação a Globo. “Não sei qual o motivo, mas eles estão muito mais relaxados (sobre como serão tratados na TV aberta)”, contou Bernardo Ramalho, diretor da Turner, proprietária do EI.

Nesta terça, na apresentação do seu projeto para o Brasileirão, com 14 clubes (incluindo o Santa Cruz, que diz estar fechado com a Globo) das Séries A e B, a empresa também falou do efeito que sua entrada teve no mercado para os times. “Por causa da nossa participação haverá R$ 2 bilhões em dinheiro novo para os clubes”, disse Edgar Diniz, vice-presidente de conteúdo esportivo da Turner. No cálculo feito por ele estão a quantia que a emissora ofereceu a mais aos clubes em relação à proposta inicial da Globo e o aumento proposto pela concorrente após a ação do Esporte Interativo.


São Paulo comemora ter ‘dobrado’ Globo e fica perto de renovar contrato
Comentários Comente

Perrone

Oficialmente, o São Paulo não fala sobre as negociações com Globo e Esporte Interativo (EI) pelos direitos de transmissão do Brasileirão em TV Fechada a partir de 2019. Porém, internamente, os cartolas do clube comemoram terem exigências atendidas pela emissora da família Marinho. Assim, afirmam que estão perto de assinar a renovação contratual com ela.

O discurso é que, depois de aceitarem conversar com a Turner, dona do EI, conseguiram arrancar da Globo um contrato muito melhor do que o atual.

Uma das cobranças feitas pelo São Paulo era para receber luvas, como oferece a Turner. A proposta original da Globo prevê uma antecipação de dinheiro no ato da assinatura, mas a verba é descontada parceladamente da quantia restante que o clube terá a receber. A diretoria tricolor não quer esse desconto.

Inicialmente, a emissora também estabeleceu uma redução nos valores pagos atualmente.

De acordo com o Blog do Rodrigo Mattos, porém, após a entrada da Turner no circuito, a Globo acenou até com uma mudança na divisão de cotas, que atualmente prevê fatias maiores para Corinthians e Flamengo.

O São Paulo é um dos clubes mais cobiçados pela Turner, que só levará adiante seu projeto se tiver a assinatura de oito times. Executivos da emissora dão como certo que fecharão com Santos, Fluminense, Grêmio, Internacional, Atlético-PR, Coritiba e Bahia. Portanto, faltaria mais uma equipe para o negócio decolar.

 

LEIA MAIS:

Com concorrência, Globo acena alterar divisão de cotas, mas tem obstáculos
Pelo Brasileiro, EI oferece em contrato falar naming rights do estádio
Globo agora ganha rivais também na disputa pelos direitos da Copa do Brasil
Turner diz a clubes que paga cerca de 9 vezes mais que Globo por TV fechada
Rival da Globo garante compra de jogos também para TV aberta, dizem clubes
Globo fecha com 7 clubes, e pay-per-view ‘ameaça’ castigar quem não assinar


Rival da Globo garante compra de jogos também para TV aberta, dizem clubes
Comentários Comente

Perrone

Um dos principais temores dos cartolas que negociam a venda dos direitos de transmissão do Brasileirão em TV fechada, a partir de 2019, para o Esporte Interativo (EI), sempre foi não ter com quem negociar os jogos em sinal aberto. Isso porque a previsão é de que a Globo não se interesse, como uma forma de retaliação aos “rebeldes” e que outras emissoras não tenham dinheiro para a operação.

Porém, cartolas envolvidos na negociação afirmam que o problema foi solucionado. Contam que a Turner, dona do Esporte Interativo, topou incluir no contrato uma cláusula que obriga o canal a comprar também os direitos para TV aberta. Isso desde que os clubes não consigam fazer a venda até o início do Brasileirão.

A empresa não tem interesse na transmissão em sinal aberto, então, provavelmente, tentaria repassar a baixo custo os direitos para outra concorrente da Globo.

Pelo acordo que está sendo costurado, a Turner pagaria R$ 600 milhões pela transmissão em TV fechada e mais cerca de R$ 210 milhões pelos direitos em sinal aberto, se for necessário. Além dessa quantia, seriam pagas luvas, negociadas entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões.

Para assinar o contrato, a empresa quer a participação de no mínimo oito clubes. Sete tem conversado desde início das negociações. São eles, Santos, Fluminense, Grêmio, Internacional, Coritiba, Atlético-PR e Bahia, que está na Série B. O São Paulo passou a participar depois das conversas, ao mesmo tempo em que negocia com a Globo.

A Turner não comenta o assunto.

 

LEIA MAIS
Globo fecha com 7 clubes, e pay-per-view ‘ameaça’ castigar quem não assinar
Disputa entre Globo e EI pode deixar jogos do Brasileiro sem TV
Negociação com concorrente da Globo inspira criação de associação de clubes
Globo impõe jogos depois da novela em contrato da Libertadores


Flu e Inter também negociam com Esporte Interativo, mas não descartam Globo
Comentários Comente

Perrone

Assim como o Santos, Fluminense e Internacional estão negociando a venda de seus direitos de transmissão dos Campeonatos Brasileiros de 2019 e 2020 para TV fechada com o canal Esporte Interativo, que pertence ao grupo Turner.

Porém, enquanto o time paulista recusou a proposta inicial feita pela Globo e não voltou mais a falar sobre o assunto, Flu e Inter seguem conversando com a emissora sobre a possibilidade de renovar antecipadamente o contrato atual, que termina em 2018. Assim, trabalham em duas frentes, o que, em tese, aumenta o valor de seus direitos de transmissão.

“Estamos ouvindo os dois lados. Sem dúvida, existir essa concorrência é muito bom. Com ela podemos avaliar melhor a qualidade do produto que temos para vender”, disse Vitorio Piffero, presidente do Internacional.

Peter Siemsen, presidente do Fluminense, também bateu na tecla da concorrência. “O que me empolga é ter essa competição (entre as emissoras)”, afirmou o cartola.

Como mostrou o blog nesta terça, o Grêmio também estava entre os participantes de uma recente reunião com representantes da Turner sobre o interesse do Esporte Interativo. Romildo Bolzan, presidente gremista, no entanto, disse que não considera que uma oferta tenha sido feita e aguarda um novo encontro, que deve acontecer na primeira semana de janeiro, no Rio. Ele já afirmou à Rede Globo que seu clube não aceitou a oferta feita para renovar o contrato dos direitos de transmissão para as TVs aberta e fechada (via Sportv).

Santos, Fluminense, Grêmio e Internacional podem ser considerados os mais importantes para o projeto do Esporte Interativo entre os oito que participaram da primeira reunião. Atlético-PR, Coritiba, Bahia e Sport completam a relação dos que estiveram no encontro, de acordo com dirigentes presentes.

O blog entrou em contato com a diretora de marketing do Sport, Melina Amorim, para perguntar se o clube havia acabado de entrar em acordo com a Globo. Ela afirmou que não tinha a informação e ficou de responder mais tarde só que não atendeu aos demais telefonemas.

O projeto do Esporte Interativo não poderá contar com clubes que já se acertaram a com a Globo sobre a renovação, como Corinthians e São Paulo.

Assim, existe a possibilidade de o campeonato ter jogos transmitidos em dois canais de TV fechada, cada um mostrando os confrontos que envolvem apenas equipes com as quais têm contrato. Há também a hipótese de, no caso de um grupo se acertar com o concorrente da Globo, os jogos em TV aberta serem negociados com uma terceira emissora.

Por enquanto, quem demonstra mais empolgação com a proposta do Esporte Interativo é Modesto Roma Júnior, presidente do Santos. Da mesma maneira que  sua torcida, a direção alvinegra não está satisfeita com o tratamento dispensado ao clube pela Globo.

O Esporte Interativo afirmou por meio de sua assessoria de imprensa que não comenta especulações ou negociações em andamento.


Já no primeiro turno Corinthians empata tanto quanto campeão de 2013
Comentários Comente

Perrone

O empate em um gol com o Bahia foi o sétimo do Corinthians no Brasileirão. Ninguém empatou tanto na competição até a noite deste sábado.

Mas entender o que representa essa marca fica mais fácil com uma olhada na tabela do ano passado. O campeão Cruzeiro empatou sete vezes em 38 partidas, mesma quantidade que o alvinegro alcançou em 15 jogos eem 2014.

Caso mantenha esse ritmo, o Corinthians vai terminar o Nacional com cerca de 17 empates, como no ano passado sob o comando de Tite em campanha que rendeu a décima posição. É mais que o dobro de empates obtidos pelo campeão do ano passado. Ou seis a mais que o vencedor de 2012, o Fluminense, que empatou 11 vezes.

Outra referência é a campanha do Corinthians na conquista do título de 2011. Foram oito empates na competição inteira. Uma a mais do que o clube já registra antes do final do primeiro turno atual. Naquela oportunidade, a equipe dirigida por Tite perdeu nove confrontos. Em 2014, o Corinthians sofreu uma derrota até agora, para o Figueirense, e venceu sete duelos. O Internacional, que amanheceu o domingo na liderança, exibe quatro empates, nove vitórias e duas derrotas.


Punição do STJD já afeta receita do Corinthians com ingressos
Comentários Comente

Perrone

A partida contra o Bahia, em Mogi Mirim, indica o estrago que as punições aplicadas pelo STJD ao Corinthians por conta do comportamento de parte da torcida pode fazer aos cofres do clube.

No primeiro dos quatro mandos fora de casa, o alvinegro teve seus piores públicos e renda no Brasileiro. Foram 9.917 pagantes e R$ 223.758.

A média de público do clube como mandante é de 24.564 pagantes. Já a arrecadação média é de R$ 806.872. Ou seja, em Mogi, o Corinthians registrou 14.647 pagantes a menos do que sua média. E arrecadou R$ 583,1 mil a menos.

Por conta da briga entre corintianos e vascaínos em Brasília, o time paulista ainda mandará três jogos fora de São Paulo. E se avançar na Copa do Brasil, não joga mais em casa por causa de um sinalizador aceso no jogo contra a Luverdense.


Criticado, presidente do Palmeiras decide ir a Salvador, e vice volta para São Paulo
Comentários Comente

Perrone

Colaborou Danilo Lavieri, em Salvador

Arnaldo Tirone voltou atrás e decidiu acompanhar o Palmeiras na Bahia. O presidente do clube havia dito que não via necessidade de viajar com o time e que sua presença dá mais trabalho para os seguranças do clube.

A declaração irritou a dirigentes e conselheiros que exigiam a presença do presidente num momento delicado da equipe. Em cima da hora, o cartola decidiu viajar. Ao mesmo tempo, Roberto Frizzo, vice de futebol e que estava com a delegação, resolveu voltar para São Paulo.

Frizzo nega que sua decisão tenha a ver com o risco de violência por parte de torcedores, caso o Palmeiras perca para o Bahia nesta noite e se afunde ainda mais na zona de rebaixamento.

“O presidente me ligou dizendo que estava indo para Salvador. Disse para ele que eu aproveitaria para descansar em São Paulo e trocar a mala. Em seguida vou para Araraquara e Colômbia. Então é bom fazer um revezamento”, disse o vice ao blog, já em São Paulo.

Tirone chegou no início da tarde a Salvador.


Contrato para vestir Nike iguala Santos a Bahia e Coritiba e irrita conselheiros santistas
Comentários Comente

Perrone

O Santos veste Nike, mas não recebe da fabricante de material esportivo para isso. Quem paga para o clube é a Netshoes, especializada em vendas pela internet. Ela é de fato a principal parceira do Peixe no fornecimento e distribuição de uniformes.

O compromisso da Nike é atender a Netshoes. O contrato é semelhante aos formalizados com Bahia e Coritiba, que também usam roupas do fornecedor da seleção, mas que têm contrato com uma intermediária.

Conselheiros santistas descobriram apenas recentemente os detalhes do acordo e de maneira extra-oficial.  Passaram a protestar. Acreditam que o fato de o compromisso não ser diretamente com a Nike justifica a dificuldade que dizem existir para encontrar alguns produtos do clube nas lojas.

Reclamam também de que o Santos não teve tratamento igual ao de Corinthians e CBF, contratados diretamente pela Nike. Falam em menosprezo por estarem no mesmo patamar de Bahia e Coritiba, apesar de o alvinegro ganhar mais.

Para a Nike a existência de uma intermediária não muda o tratamento dispensado ao time do litoral paulista. A empresa alega que todas as necessidades do clube são atendidas. E que se não fosse por meio da Netshoes não poderia ser fornecedora de Santos, Coritiba e Bahia, pois teria dificuldades na distribuição para lojas.

Até a publicação do post, a diretoria de comunicação do Santos não havia respondido ao blog sobre o assunto.


Medo de reforçar rival na luta contra rebaixamento faz Bahia tentar impedir ida de Jorginho ao Palmeiras
Comentários Comente

Perrone

Bahia quer evitar reforçar rival na luta contra rebaixamento, por isso tenta segurar Jorginho

A melhora de rendimento do time nas últimas rodadas não é o único motivo que faz a diretoria do Bahia tentar impedir a ida de Jorginho para o Palmeiras. Os baianos encaram o alviverde como seu rival direto na luta contra o rebaixamento. E acreditam que permitir a transferência seria reforçar um concorrente.

A equipe de Salvador tem oito pontos a mais do que a paulista, penúltima colocada no Brasileirão. Apesar da amizade entre Leão e Arnaldo Tirone, presidente palmeirense, Jorginho tem menos rejeição no Palestra Itália, por isso a investida mais pesada foi em sua direção.

Sondado, Emerson Leão sinalizou que aceita conversar. Ele não tem multa contratual no São Caetano. Porém, a diretoria tem sido pressionada até por e-mails para não contratar o ex-goleiro.

Em meio ao impasse, dirigente do clube disse ao blog defender a permanência de Narciso, caso o Palmeiras derrote o Corinthians, no domingo.