PUBLICIDADE
Topo

Perrone

Cabos-eleitorais de Andrés miram Globo e apontam gaúcho como obstáculo em eleição

Perrone

15/09/2013 09h28

Colaboradores de Andrés Sanchez ignoram as declarações do ex-presidente do Corinthians de que não é candidato à presidência da CBF e trabalham em busca de alianças. Desejam o apoio da Globo para formar o que consideram uma tropa de choque perfeita. Já dão como certo que Lula, Ronaldo e Romário entrarão na campanha, apesar de só o Fenômeno declarar apoio.

O argumento para arrastar a emissora na disputa contra Marco Polo Del Nero é de que se alinhar com Andrés significa já ter o Corinthians como aliado na próxima renovação de contrato dos direitos de transmissão do Brasileiro. O corintiano implodiu o Clube dos 13 ao negociar separadamente com a Globo e inviabilizar um acordo com a Record em 2011.

Na engrenagem eleitoral, Lula seria importante para convencer governadores a arrastar para a campanha os presidentes de federações de seus Estados.

Porém, os que buscam votos para Andrés enxergam Francisco Novelletto, presidente da Federação Gaúcha como obstáculo.

Assim como o corintiano, o gaúcho não declara ser candidato, mas é visto como tal pelos demais cartolas. Os "andresistas" não trabalham com a possibilidade de apoiar Novelleto. Acreditam que ele não têm envergadura para derrotar Del Nero.

Por isso, querem que o gaúcho se junte ao ex-diretor de seleções da CBF, levando seus simpatizantes. A divisão entre ambos inviabilizaria uma candidatura de oposição. Novelletto tem o apoio de dirigentes que resistem a Andres.

Por sua vez, a ala que defende Novelletto lembra que Andrés disse que apoia quem for contra Del Nero. Então, não há motivo para discussão. A eleição está marcada para o primeiro semestre do ano que vem.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.