PUBLICIDADE
Topo

Perrone

Cruzeiro foi absolvido em mesmo artigo de acusação da Lusa

Perrone

11/12/2013 16h38

No mesmo julgamento em que Heverton, meia da Portuguesa, foi suspenso por dois jogos, na última sexta, o Cruzeiro foi absolvido da acusação de escalar um atleta em situação irregular.

O time paulista vai cair se perder quatro pontos no tribunal por escalar Héverton no segundo tempo do empate com o Grêmio, na última rodada, apesar de ele ter ainda um jogo de suspensão para cumprir.

Já o Cruzeiro foi julgado sob a acusação de que o goleiro Elisson não poderia nem ter ficado no banco na derrota para o Vasco porque estaria sem contrato. As situações são diferentes, mas o artigo ferido do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva)  é o mesmo: 214. Ele prevê perda do número de pontos válidos na partida (3) mais os pontos conquistados pelo infrator, além de multa. A infração é incluir na equipe ou fazer constar na súmula atleta em situação irregular para a partida.

No caso cruzeirense, o presidente da sessão, Paulo Bracks, pediu a pena de três pontos e multa de R$ 10 mil, mas foi voto vencido. Os demais julgadores optaram pela absolvição, pois acataram os argumentos da defesa.

O clube se defendeu alegando que renovou o contrato do goleiro em junho, cumprindo todos os prazos, mas que um erro no sistema da Federação Mineira impediu o registro. Apresentou documentos para comprovar sua explicação.

O episódio mostra que, por mais que pareçam, a condenação da Lusa e a manutenção do Fluminense na Série A, não podem ser dadas como certas. Vai depender do trabalho dos defensores da Portuguesa.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.