PUBLICIDADE
Topo

Perrone

Lusa aposta em pressão popular para cumprir pena em 2014

Perrone

16/12/2013 12h48

Na Portuguesa, a esperança de o clube ser absolvido por escalar Heverton suspenso contra o Grêmio na última rodada do Brasileiro não é das maiores. Nesse cenário, a aposta é numa pressão popular para que o STJD determine nesta segunda que o time cumpra a pena de perda de quatro pontos apenas no Brasileiro do ano que vem.

Se conseguir empurrar a suspensão para  2014, a Portuguesa evita o rebaixamento. E o Fluminense não escapa da Série B.

O argumento é de que o código disciplinar da Fifa permite que os pontos sejam descontados só no campeonato seguinte. As alegações de que ninguém foi favorecido ou prejudicado com a escalação de Heverton e de que a Fifa recomenda que o resultado obtido em campo seja preservado servem como base para que a punição seja adiada.

O pensamento no Canindé é de que com essa decisão o tribunal puniria o infrator, mas se livraria de críticas de torcedores por supostamente patrocinar uma espécie de virada de mesa a favor do Fluminense.

Como demonstração de que há um clamor pela permanência da Lusa na Série A, a defesa da Portuguesa deve apresentar até um texto de Hélio Schwartsman publicado na Folha de S.Paulo. Nele o jornalista defende que seja respeitado o resultado esportivo.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.