PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

Nem diretores sabem o que Corinthians ganhou com amistoso em Natal

Perrone

26/07/2015 10h53

O Corinthians tinha a semana inteira para treinar antes do jogo deste domingo contra o Coritiba. Porém, mesmo com o apertado calendário do futebol brasileiro, o clube se deu ao luxo de fazer um amistoso em Natal. E quanto o Corinthians lucrou com isso? Poucos sabem. Mas certamente não foi algo que alivie significativamente a situação financeira corintiana.

Dois diretores corintianos ouvidos pelo blog e que pediram para não serem identificados, disseram não saber exatamente quanto o clube recebeu. Mas deixaram claro que não foi muito.

"Teve algo, sim. Acho que um valor fixo, mas não sei quanto", afirmou um deles. "Acho que ficamos com uma parte da renda, mas não sei quanto", declarou o outro.

O UOL Esporte mostrou que o jogo com o ABC, na última quarta, foi acertado entre os deputados Andrés Sanchez (PT-SP), superintendente de futebol corintiano, e Rogério Marinho (PSDB-RN), vice-presidente do time do Rio Grande do Norte. Na mesma reportagem, a diretoria do time de Natal, que comemorou 100 anos, assegurou que a equipe paulista ficou com parte da renda e do dinheiro recebido do Sportv pela transmissão do jogo.

Para não cansar e colocar em risco seus titulares, Tite escalou os reservas. Mas, entre eles estava Danilo, usado frequentemente no segundo tempo das partidas. Se poupou seus titulares, o treinador não teve como se poupar. Comandou o time num dia em que poderia ter sido dedicado à preparação para enfrentar o Coxa na perseguição pelo primeiro lugar do Brasileirão.

Certamente teria sido melhor para ele ficar treinando os titulares. O sacrifício seria compreensível se o dinheiro recebido em Natal fosse vital para as finanças do clube. Agora, se até diretores tratam o pagamento como nada relevante, não dá para entender o motivo de obrigar Tite a desperdiçar uma semana inteira de treinamentos. Cabe ao presidente Roberto de Andrade, eleito pela chapa renovação e transparência, esclarecer o assunto. E apontar quais foram os benefícios do Corinthians com o amistoso fora de hora. Os conselheiros alvinegros não deveriam deixar passar em branco.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone