PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Opinião: venda de Elias escancara fraco planejamento do Corinthians

Perrone

04/09/2016 13h13

Em recente entrevista coletiva, Roberto de Andrade, presidente do Corinthians, disse que o planejamento do clube para 2016 foi bem feito. A declaração soou estranha para torcedores corintianos que viram o campeão brasileiro do ano passado se enfraquecer na atual temporada. E ficou mais difícil de engolir a afirmação após a venda de Elias para o Sporting.

Havia muito tempo que os dirigentes corintianos sonhavam em aliviar despesas negociando o volante. Tanto que em 2015 ele só não foi parar no Flamengo porque exigiu que a direção alvinegra assumisse publicamente o desejo de fazer o negócio.

Porém, apesar desse desejo, o Corinthians emprestou duas promessas de suas categorias de base que poderiam hoje substituir Elias. Marciel foi emprestado numa troca por Williams sob a justificativa de que não teria espaço no time principal. Na ocasião, a explicação dada foi que Maycon merecia mais a vaga na equipe de cima do que ele. Só que cerca de um mês antes da venda de Elias, o promissor Maycon foi por empréstimo para a Ponte Preta. Ou seja, em nenhum momento o Corinthians planejou formar em casa um substituto para Elias. Preferiu, antes da saída de Maycon, contratar Camacho, que pode fazer esse papel.

E assim, o alvinegro segue o seu planejamento, o mesmo que não previu a saída de Tite para a seleção, esperada desde 2015. O tempo para transformar um membro da comissão técnica em substituto de Adenor foi desperdiçado da mesma forma que aconteceu em relação ao sucessor de Elias.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone