Blog do Perrone

Galo vê SPFC obrigado a comprar mais 50% de Pratto e põe valor para revenda

Perrone

Com José Eduardo Martins, do UOL, em Sāo Paulo

Atualizado às 13h41

Ao acertar a compra de 50% dos direitos econômicos de Lucas Pratto o São Paulo se comprometeu a comprar a fatia restante do Atlético-MG, segundo a diretoria mineira. A informação sobre a obrigatoriedade de aquisição da outra metade, publicada pelo site do jornal “Hoje em Dia”, foi confirmada ao blog por Daniel Nepomuceno, presidente do Atlético-MG, sem citar valores. Ele também confirmou a apuração do blog de que uma cláusula obriga o São Paulo a vender o atacante ou comprar o que ainda pertencer ao Galo pela mesma quantia proporcional se, a partir de dezembro deste ano, chegar uma oferta superior a 11 milhões de euros (por volta de R$ 36,4 milhões) que agrade ao jogador.

O Sāo Paulo nāo se posicionou oficialmente sobre esses detalhes até a publicação do post. Mas a informação no Morumbi é de que existem gatilhos ligados ao desempenho anual do atleta que levam à compra de mais porcentagens dos direitos econômicos. O total chegaria a pouco menos de outros 50%, só que por um valor inferior ao pago pela primeira metade.

Os sāo-paulinos afirmam que colocaram essa cláusula por entenderem ser interessante adquirir mais fatias do atleta por um preço menor pensando principalmente no mercado chinês.

Os tricolores também confirmam existir cláusula de venda obrigatória ou compra da parte restante.

Segundo fonte envolvida nas negociações, os primeiros 50% custaram 6 milhões de euros (cerca de R$ 19,8 milhões). As partes não se pronunciam sobre cifras, mas Nepomuceno assegura que seu clube detinha a porcentagem integral dos direitos e agora possui a metade, negando que existam pelo menos 20% na mãos de parceiros. O pagamento da porcentagem pertencente ao Galo deverá ser feito nos próximos três anos em parcelas semestrais a partir de janeiro de 2018, de acordo com o dirigente mineiro.

Se o time paulista vender Pratto, contratado por quatro anos, terá que repassar ao Galo a metade do valor da venda. Porém, dessa quantia será descontado o que já tiver sido pago dos 50% restantes. Por exemplo, se a venda for por 12 milhões de euros e já tiverem sido pagos mais 2 milhões de euros (8 milhões no total), o Atlético terá direito a 4 milhões de euros.