PUBLICIDADE
Topo

Perrone

Após penhora de cotas da Globo, Corinthians vê fim de dívida com arquiteto

Perrone

01/09/2017 04h00

Com Dassler Marques, do UOL, em São Paulo

O Corinthians teve cotas que recebe da Rede Globo pela transmissão dos jogos da equipe no Brasileirão penhoradas pela Justiça para pagar dívida com o escritório Coutinho Diegues Cordeiro Arquitetos, responsável pelo projeto da arena do clube. Os pagamentos que a emissora deveria fazer ao clube passaram a ser enviados para uma conta determinada pela Justiça.

Além disso, o alvinegro sofreu penhora em conta corrente para quitar o débito. O escritório entrou com a ação em outubro do ano passado cobrando cerca de R$ 11,1 milhões referentes ao trabalho relacionado à Arena Corinthians. O clube reconheceu a dívida e foi obrigado a pagar também os honorários do advogado do escritório.

O valor final foi de R$ 11.883.015,95, já com honorários do advogado do escritório de arquitetura. As penhoras atingiram R$ 13 milhões, mas o clube conseguiu recuperar a diferença.

"Com os bloqueios em conta e de nossos recebíveis não devemos mais nada. Isso já faz alguns meses. Até já conseguimos levantar um dinheiro que tinha sido bloqueado a mais pela Justiça. O processo está encerrado", afirmou ao blog Luiz Alberto Bussab, diretor jurídico do Corinthians.

Anibal Coutinho, principal responsável pelo projeto arquitetônico da arena, não quis falar sobre o tema. Assim, o blog não conseguiu confirmar se o escritório já teve acesso a todo o dinheiro relativo à cobrança.

No início de 2015, ainda com Mário Gobbi na presidência, Coutinho aceitou emprestar ao clube R$ 7 milhões que tinha direito a receber por seu trabalho relativo ao estádio. Com correções, até o início da ação, o valor chegava aos cerca de R$ 11,1 milhões.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.