Blog do Perrone

Diretoria do São Paulo não aceita mais perder pontos para pequenos

Perrone

Um dos principais incômodos da diretoria do São Paulo em relação ao trabalho de Dorival Júnior é a perda de pontos para equipes que investiram muito menos na formação de seus elencos. O entendimento é de que não há mais espaço para tropeços diante de pequenos. E o treinador já sabe que a direção pensa assim. Por isso, o jogo com a Ferroviária, domingo (25), no Morumbi, tem grande importância para o futuro do técnico no clube.

No Campeonato Paulista, os tricolores já entregaram seis pontos para São Bento e Ituano nas derrotas por 2 a 0 e 2 a 1, e outro para o Novorizontino no empate sem gols. O fato de, mesmo com a campanha irregular a equipe liderar seu grupo ao lado da Ponte Preta, com dez pontos, não acalma os dirigentes. A avaliação é de que pela diferença orçamentária e, consequentemente, no nível de contratações, o São Paulo tem a obrigação de passar convincentemente pelos rivais menores.

Conforme mostrou o UOL Esporte, apesar de a diretoria valorizar as contratações que fez, Dorival diverge de algumas delas, como as de Nenê e Tréllez. Pelo menos no caso do ex-vascaíno, os cartolas não entendem a rejeição.

Além do desempenho fraco diante de alguns pequenos, dirigentes se queixam dos ''brilharecos'' da equipe. São alguns minutos de bom futebol que Dorival não consegue prolongar com o passar dos treinamentos.

Essa falta de evolução gera outro desconforto. A diretoria começa a se preocupar com o Campeonato Brasileiro. Há o temor de que a demora para o time evoluir faça com que o São Paulo comece o torneio nacional atrás de seus principais adversários.

Mesmo insatisfeita, a diretoria manteve até aqui o seu desejo de ter uma postura diferente da adotada com Rogério Ceni, demitido apenas cerca de seis meses após ser contratado. Em meio às cobranças de conselheiros e treinadores para derrubar o técnico, a direção preferiu falar tudo o que pensa do trabalho dele para o próprio e ouvir as queixas do funcionário também.

A aposta é de que esse jogo da verdade faça o time evoluir diante da Ferroviária. Se isso não acontecer e novos pontos forem desperdiçados diante de um adversário com poderio financeiro menor, poderá ficar em xeque a decisão dos cartolas de prolongar a permanência de Dorival no Morumbi.