Blog do Perrone

Vendas e má fase fazem Andrés amargar rejeição inédita

Perrone

A combinação de maus resultados com seguidas vendas de jogadores, geralmente com preços inferiores aos conseguidos pelos rivais, fazem Andrés Sanchez amargar uma rejeição inédita para ele entre os Corintianos.

Quase unanimidade na Fiel em sua primeira passagem pela presidência do Corinthians, o deputado federal viu a insatisfação com sua atual gestão aumentar avassaladoramente após a derrota por 3 a 1 para o São Paulo no último sábado (21).

Nas redes sociais transbordam críticas contra o dirigente. Torcedores reclamam da impotência dele diante das propostas de clubes estrangeiros por atletas alvinegros. Citam que o Palmeiras consegue resistir mais a essas investidas e que, como o São Paulo, alcança melhores preços quando vende jogadores.

Andrés tem se defendido citando em entrevistas a desvalorização do real diante do dólar e que não é bom negócio manter jogador insatisfeito.

As estocadas de Sanchez nos rivais antes eram vistas  como sinais de astúcia. Agora, para os críticos que se manifestam na internet, são apenas tentativas simplórias de desviar o foco. O caso mais citado é a recente declaração de Andrés insinuando que o Palmeiras terá problemas por segurar jogadores que queriam sair, situação vivida por Dudu.

Até as patadas do deputado em jornalistas mudaram de status para ao menos parte dos insatisfeitos. Em sua primeira gestão, a postura rude era tratada como bravura, resistência e defesa dos interesses corintianos. Neste momento, há na rede mundial de computadores quem classifique o comportamento de Andrés diante da imprensa como desnecessariamente debochado e incompatível com a sobriedade e respeito que se esperam do presidente de um grande clube.

A situação desconfortável do alvinegro, oitavo colocado no Brasileirão e sem resolver antigos problemas como falta de patrocinadores principal e para o estádio, também fazem sócios que elegeram Andrés serem cobrados por associados descontentes. É o início de uma inversão do que ocorria durante o reinado anterior de Sanchez no Parque São Jorge. Agora quem enfrenta uma avalanche de argumentos desfavoráveis e têm dificuldade para mostrar a cara são os torcedores que o defendem.