Blog do Perrone

Opinião: Loss tem mais trabalho para fazer do que conversar com time

Perrone

Apesar do fraco desempenho do Corinthians, Osmar Loss tem contato com uma compreensão por parte da diretoria e da torcida muito acima da média.

As saídas e chegadas de jogadores somadas ao fato de o elenco não estar entre os mais fortes do Brasil explicam boa parte dessa paciência.

Completam o clima de tolerância o fato de Loss ter cativado a Fiel com títulos conquistados na base e a tese de parte da diretoria de que em alguns pontos ele seria melhor do que seu antecessor, Fábio Carille.

Até agora, no entanto, ele não justificou a confiança depositada em seu trabalho.

Para este blogueiro, a remontagem do elenco e falta de jogadores com maior potencial não podem mais servir de escudo para Loss.

Mesmo com todos os problemas, o treinador tem a obrigação de mandar a campo um time minimamente organizado, com ambição para vencer em casa e como visitante, além de ser capaz de mudar o panorama das partidas quando seu time é dominado.

Na derrota para o Grêmio por 1 a 0, neste sábado (18), mais uma vez, o alvinegro atuou como uma equipe mal treinada, sem padrão de jogo e organização.

A situação ficou mais desanimadora para os corintianos com a declaração de Loss após apartida ao reclamar da falta de tempo para treinar. ''Temos que ganhar confiança por meio de conversa. Não tem muito o que fazer além de fortalecer a confiança'', disse ele.

O que não falta é trabalho a ser feito. Conversa é o que o Corinthians menos precisa. Loss poderia começar corrigindo a falta de compactação de seu time. A distância entre os jogadores quando a equipe está com a posse de bola é imensa, o que dificulta a troca de passes, facilita a marcação adversária e resulta em toques para trás e perda da bola.

O treinador também deveria se concentrar numa forma de fazer com que a equipe aposte mais em triangulações ofensivas para aumentar suas chances de gol.

Este blogueiro não defende a demissão de Loss, mas que ele não seja mais cobrado como um iniciante impotente diante das dificuldades.

A diretoria precisa cobrar o técnico para encontrar soluções e fazer com que a equipe apresente um futebol decente. Claro, cabe aos cartolas auxiliar Loss na missão.

Se ainda não têm consciência disso, diretores e técnico deveriam saber que do jeito que o time tem jogado há risco de de visitar a zona de rebaixamento no Brasileirão. Além disso, acreditar em títulos da Copa do Brasil e da Libertadores fica mais difícil a cada pífia apresentação do time.