Topo
Blog do Perrone

Blog do Perrone

Categorias

Histórico

Nas receitas de 2018, Corinthians só bateu Palmeiras em dinheiro da TV

Perrone

09/05/2019 04h00

Foto: Daniel Vorley/AGIF

Os balanços financeiros de Corinthians e Palmeiras apontam que em 2018 o único item de receita em que o  departamento de futebol do alvinegro superou o alviverde foi nos contratos de transmissão de jogos. Esse é um dos pontos considerados estratégicos pela diretoria palmeirense. Tanto que a negociação com a Globo para transmissão de seus jogos em 2019 em canal aberto vive um longo impasse.

O clube presidido por Maurício Galiotte embolsou mais do que o rival com patrocínio, vendas de jogadores, bilheteria nos jogos, programa de sócio-torcedor, premiações e loterias.

No quesito direitos de transmissão, porém, os corintianos arrecadaram R$ 197.756.000 contra R$ 136.724.000 do tradicional rival.

Uma das principais vantagens do Palmeiras aconteceu em relação ao patrocínio. Apoiado pela Crefisa e pela FAM, dos conselheiros José Roberto Lamacchia e Leila Pereira, o alviverde faturou R$ 95.123.000 no futebol. Sem patrocinador máster no ano passado, a agremiação de Andrés Sanchez recebeu R$ 42.804.000 de patrocínio e publicidade.

A vantagem do atual campeão brasileiro com a venda de ingressos em 2018 também foi grande: R$ 112.127.000 contra R$ 60.573.000. Vale lembrar que o Corinthians é obrigado a repassar a receita obtida com ingressos, descontadas as despesas, para pagar parcelas da dívida pelo financiamento para a construção de sua arena.

Com a venda de jogadores, os palmeirenses faturaram R$ 169.585.000 em 2018. Nos cofres alvinegros entraram R$ 118.859.000 graças à transferência de atletas.

As premiações pela participação em campeonatos renderam ao alviverde R$ 33.104.000.  O Avanti, programa de sócio-torcedor, gerou R$ 47.870.000. Com Timemania e outras loterias foram amealhados R$ 2.052.000. Por sua vez, o Corinthians apresenta os números de premiação, Fiel Torcedor, loterias e de "outras" juntos. São R$ 18.061.000.

Os palmeirenses ainda anotam R$ 5.250.000 obtidos com licenciamentos e franquias, e R$ 152.000 com rendas diversas. Não há esses itens no relatório corintiano.

No total, o Palmeiras apresenta receita operacional no futebol em 2018 de R$ 601.987.000 diante de R$ 438.053.000 do rival (arrecadção bruta, antes do desconto de impostos e outros encargos).

 

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone