Topo
Blog do Perrone

Blog do Perrone

Categorias

Histórico

Pontos fortes e fracos de Neymar, Barça e PSG na 'novela' com brasileiro

Perrone

19/07/2019 04h00

Abaixo, veja os pontos fracos e fortes dos envolvidos na "novela" em que se transformou o possível retorno de Neymar ao Barcelona.

Neymar

Ponto fortes

Sua vontade – Nesses casos, em geral, os clubes não querem ficar com jogadores insatisfeitos e aceitam sentar com representantes de times interessados para conversar. Em recente entrevista para a revista France Football, o presidente do PSG, Nasser AL Khelaifif, disse que só quer atletas comprometidos com o projeto da agremiação e que conversaria com os que não estivessem interessados. Apesar de seu estafe negar, o brasileiro já deixou claro ao Paris Saint-Germain que quer sair.

Experiência do pai e estafe – Para encarar essa briga, Neymar conta com o conhecimento de seu pai e de profissionais que trabalham para ele e já venceram batalhas semelhantes. As saídas de Santos e Barcelona também foram na marra e as estratégias montadas pelo "time Neymar" liderado pelo pai deram certo. Mas esse caso é mais duro do que os outros.

André Cury – O agente brasileiro trabalha para o Barcelona, tem bom trânsito no clube espanhol e conhecimento de seus mecanismos. Ao mesmo tempo, é amigo de Neymar pai e seu filho. O trabalho do empresário é importante na busca de um acordo.

Ponto fraco

Inexistência de multa – Seguindo a legislação francesa, não há multa contratual no acordo entre Neymar e o PSG. Assim, ele não tem uma meta para incentivar o Barcelona a atingir. Não é possível para os catalães depositarem um valor fixado anteriormente para levar o jogador, como fizeram os parisienses ao pagarem 222 milhões de euros pelo brasileiro.

Barcelona

Pontos fortes

A vontade de Neymar – Ao dizer em público que a iniciativa do retorno é do jogador, o Barça se coloca numa posição confortável na mesa de negociações. Pelo menos em tese, o clube catalão não é o principal interessado em bater o martelo. Por essa linha de raciocínio, o brasileiro é quem precisa se esforçar e ceder mais.

Contratações recentes – Independentemente do futuro de Neymar, o Barcelona já se reforçou de maneira importante ao trazer Griezmann e De Jong, dois nomes de peso. Ou seja, o brasileiro não ganha status de fundamental na montagem do time para a próxima temporada. Se ele chegar, ótimo, será a cereja no bolo. Caso contrário, a equipe já está mais forte, pelo menos em tese. Nesse cenário, os catalães indicam ao jogador e ao PSG que não precisam fazer loucuras para fechar o negócio.

Moedas de troca – A fartura do elenco do Barça permite que o clube ofereça jogadores interessantes ao PSG para quitar parte do pagamento por Neymar. A imprensa europeia já citou Malcolm, Phillippe Coutinho, Dembélé e Rakitic como possíveis envolvidos na negociação. Ao menos no início, porém, os parisienses sinalizaram que só se interessariam em dinheiro. Fonte ligada a Coutinho ouvida pelo blog disse que até este momento não houve nenhuma movimentação para a saída do jogador da Catalunha.

Ponto fraco

Gastos recentes – Os gastos com Griezmann e De Jong diminuem a capacidade financeira do Barcelona para investir em Neymar. Para piorar, o PSG faz jogo duro. E ainda que consiga uma quantia em grana viva que agrade aos franceses, os espanhóis precisariam se encaixar nas regras de fair-play financeiro.

PSG

Pontos fortes

Inexistência de multa – O PSG pode pedir quanto quiser por seu jogador. Não corre o risco de ver um cheque em seu nome ser apresentado e ter que liberar o brasileiro.

Leonardo – O fato de o ex-jogador ter voltado ao cargo dirigente do PSG facilita uma postura dura do clube com Neymar. Ele chegou com poder para acabar com eventuais mordomias de atletas do elenco. Além disso, não demonstra intimidade com Neymar e seu pai, o que facilita um relacionamento profissional. Com o novo cartola fica mais difícil para o astro emplacar seu desejo de sair do time a qualquer custo.

Riqueza – O clube parisiense é controlado pelo fundo de investimentos Qatar Sports Investments, ligado ao governo daquele país. Ou seja, dinheiro não é problema. Não se trata de uma instituição com a corda no pescoço e que precisa se livrar de um jogador caro para engordar seu cofre.

Ponto fraco

A vontade de Neymar – Caso não acerte a venda do brasileiro, o PSG conviverá com a adversidade de ter um jogador insatisfeito no elenco. Há também a questão do ambiente no clube com a presença dele, depois de se tornar pública a vontade do atleta de sair. Existe ainda  o fato de Neymar ter  voltado das férias depois da maioria de seus companheiros. Não é demais lembrar que o jogador não confirmou publicamente seu desejo de sair e que seu estafe trata tudo como especulação da imprensa.

 

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Mais Blog do Perrone