PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

No que Sampaoli combina ou não com o Palmeiras

Perrone

04/12/2019 04h00

Nome preferido da diretoria do Palmeiras para substituir Mano Menezes, Jorge Sampaoli tem características que se encaixam nas necessidades do clube e outras que destoam. Abaixo, confira no que o treinador do Santos combina ou não com o alviverde.

Não combina

Estilo centralizador

No Santos, o argentino está acostumado a dar as cartas. Quer tudo do seu jeito mesmo quando o assunto não é técnico e tático. Só que, neste momento, o Palmeiras não deseja centralização no seu departamento de futebol. A ideia é que os próximos diretor executivo e treinador não tenham superpoderes. O plano é dividir responsabilidades, valorizar todas as áreas da comissão técnica e pregar o respeito à hierarquia.

Base

Sampaoli é criticado por conselheiros do Santos por usar pouco a badalada base do clube. Ele prefere apostar em jogadores mais experientes. No entanto, uma das estratégias do Palmeiras para 2020 é dar mais oportunidades aos jogadores revelados em casa. As equipes da base alviverde vivem excelente momento. O cenário ideal visto pela diretoria palmeirense é contratar menos e melhor deixando mais espaço para os jovens caseiros.

Mandos de jogos

O treinador argentino pediu para a diretoria do Santos mandar mais partidas na Vila Belmiro. Ele considera fundamental atuar no estádio do clube como mandante, apesar da estratégia da direção de utilizar também o Pacaembu. No Palmeiras, ele teria um problema, já que o time é constantemente obrigado a mandar partidas longe do Allianz Parque. Isso por conta do contrato com a WTorre, que aluga a arena para shows e outros eventos.

Distância de dirigentes

Em Santos, Sampaoli é visto como um treinador que não gosta de se aproximar dos cartolas. É avesso ao contato com conselheiros e dirigentes com quem não tenha que lidar profissionalmente. Membros do Conselho Deliberativo santista afirmam que ficou mais difícil chegar perto do time desde que o argentino assumiu. Por sua vez, o Palmeiras planeja a criação de um comitê de dirigentes que acompanhará os trabalhos do departamento de futebol. Além disso, são comuns no clube os voos com conselheiros para acompanhar os jogos da equipe.

Combina

Medalhões

Um ponto que o Palmeiras considera importante na escolha de seu próximo técnico é a capacidade dele de trabalhar com medalhões como os que integram seu elenco. Principalmente por ter treinado as seleções de Argentina e Chile, Sampaoli está calejado nesse tipo de relacionamento.

Estilo de jogo

Uma das principais cobranças da torcida palmeirense é para que o time volte a jogar de maneira ofensiva. Os fãs reclamam da filosofia de jogo de técnicos recentes como Mano Menezes, Felipão e Cuca. O atual treinador santista se encaixa perfeitamente no perfil desejado pelos palmeirenses. Sob sua batuta, o Santos costuma buscar o gol sempre.

Popularidade

O que a torcida do Palmeiras mais tem feito nos últimos meses é protestar. Seja contra diretoria, jogadores ou comissão técnica. Por praticar um futebol que agrada aos torcedores, Sampaoli tem potencial para reconstruir a relação entre o alviverde e seus seguidores.

Contratações

O treinador argentino já pediu reforços para a diretoria do Santos visando a próxima temporada. Porém, ouviu que o clube tem pouco dinheiro para investir em contratações. Já o Palmeiras, apesar de apresentar deficit operacional até aqui neste ano, tem mais receitas do que o alvinegro e conta com a ajuda de sua endinheirada patrocinadora, a Crefisa. As chances de atender a eventuais pedidos de seu próximo treinador são boas.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone