PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

Oposição corintiana usa sucesso do Flamengo para pressionar Andrés

Perrone

20/12/2019 04h00

"Fala com o [Jorge] Jesus daqui a quatro ou cinco meses. Ele vai jogar de quarta a domingo, com viagem de avião, concentração. É outro mundo. Lá na Europa não se concentra, não viaja (tanto). Nós brasileiros temos um defeito que é falar bem dos outros e mal de nós. No dia que o Jorge Jesus perder uma Copa do Brasil ou uma Libertadores e invadirem o CT… Brasil é outro mundo". Essas declarações dadas por Andrés Sanchez para o canal a Fox Sports em julho hoje são usadas pela oposição para criticar e pressionar o presidente corintiano.

As previsões de dificuldades não se concretizaram. O treinador português já levantou os troféus do Brasileirão e da Libertadores. No sábado (21) disputa o título do Mundial de Clubes contra o Liverpool. Adversários políticos do presidente corintiano afirmam que o cartola não só errou nas projeções como viu o Flamengo abrir larga vantagem sobre o Corinthians dentro e fora de campo.

Desde sua primeira passagem pela presidência alvinegra, Andrés diz que o rival direito de seu clube é o rubro-negro. Isso principalmente pelo fato de as duas torcidas serem as maiores do Brasil. Os opositores argumentam que o alvinegro chegou a ter vantagem em campo e nas finanças, mas que agora precisa de binóculos para ver o adversário. Eles creditam o distanciamento às atuações do grupo político de Sanchez. O "Renovação e Transparência"  está no poder desde outubro de 2007.

Enquanto o Flamengo disputa o Mundial, o Corinthians se prepara para jogar a fase preliminar da Libertadores. A situação é resultado do 8º lugar no Brasileirão conquistado com 34 pontos de desvantagem para o rubro-negro. A diferença ilustra a distância do time de Jesus dentro de campo que é alvo de queixas da oposição corintiana.

Relatórios financeiros elaborados pelos dois clubes também mostram como o rubro-negro abriu vantagem sobre o rival paulista. Em 2016, o Corinthians terminou um ano com receita bruta operacional no departamento de futebol maior que a do Flamengo pela última vez. Os alvinegros registraram na ocasião receita no departamento de R$ 458.295.000. Os flamenguistas ficaram um pouco atrás com R$ 453.534.000.

Em 2017, o Flamengo arrecadou operacionalmente R$ 178.395.000 a mais do que o Corinthians. No ano passado a vantagem rubro-negra foi de R$ 64.645.000. Os dados financeiros dos dois clubes referentes a 2019 também não são favoráveis para os paulistas que têm previsão de terminar o ano com déficit de R$ 144,8 milhões. O número diminui se o clube conseguir vender jogadores até o fim do mês. Por sua vez, o rubro-negro já registrava em setembro (último balancete publicado em seu site) superávit de R$ 74.721.000. Vale lembrar que os corintianos têm suas receitas prejudicadas porque o dinheiro arrecado com a venda de ingressos vai para o pagamento da dívida pela construção de sua arena.

Toda essa diferença já consolidada entre os dois rivais ficará maior ainda aos olhos da oposição corintiana se o rubro-negro alcançar seu bicampeonato mundial. A pressão sobre Andrés deve aumentar.

 

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone