PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Com Gabigol, Fla gasta mais do que Corinthians e SPFC esperam gastar juntos

Perrone

28/01/2020 09h41

Para se ter uma ideia do tamanho do investimento que o Flamengo topou fazer para manter Gabigol basta olhar para alguns rivais. Só em sua compra, o rubro-negro vai gastar mais do que São Paulo e Corinthians, juntos, planejaram investir o ano inteiro em reforços.

De acordo com o Blog do Mauro Cezar, o Flamengo desembolsará R$ 76 milhōes por 90% dos direitos econômicos de Gabigol.

Por sua vez, o São Paulo prevê gastar neste ano R$ 21,5 milhōes com direitos econômicos e federativos de jogadores.

Já o orçamento do Corinthians projeta em 2020 gasto de R$ 53.620.000 com aquisição e amortização (pagamentos de contratações feitas anteriormente) de direitos federativos.

Assim, os gastos previstos por corintianos e são-paulinos para este ano com direitos relativos a jogadores (contando as amortizações alvinegras) totalizam R$ 75.120.000. São cerca de R$ 880 mil a menos do que o Flamengo deve gastar na compra de Gabigol.

O orçamento flamenguista prevê despesa total de R$ 138,1 milhōes em contratações em 2020.

Os gastos maiores do Flamengo em relação aos rivais são embalados por uma expectativa de arrecadação superior. A previsão orçamentária do rubro-negro para este ano projeta receita bruta de R$ 726.295.000.

No Corinthians, a receita bruta prevista é de R$ 426,3 milhões. Ancorado no plano de vendas de atletas, o orçamento tricolor espera a arrecadação de aproximadamente R$ 516,7 milhōes.

A primeira versão do post havia sido escrita com o valor aproximado de 18 milhōes de euros (cerca de R$ 83,3 milhões) para a compra de Gabigol, o que aumentava a diferença em relação aos números de São Paulo e Corinthians.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone