PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Corinthians prevê novo superávit em julho com corte de 40% fora do futebol

UOL Esporte

27/07/2020 10h32

Diferentemente de parte significativa dos conselheiros do clube, a diretoria do Corinthians está otimista em relação às finanças da agremiação. Depois de apresentar as contas do primeiro semestre deste ano com R$ 4,39 milhões de superávit, a expectativa é de que aconteça um aumento superavitário em julho.

A previsão animadora acontece porque os dirigentes esperam que até lá todos os departamentos tenham executado a orientação de reduzir drasticamente suas despesas. A previsão é de corte de 40% para a área social e nos esportes amadores, com economia de aproximadamente R$ 2,5 milhões mensais. Os dois setores apresentaram juntos até junho déficit operacional de R$ 8,1 milhões.

O aperto de cintos foi pedido no auge das medidas de distanciamento social por conta da pandemia de covid-19. Na ocasião, a meta estipulada foi de redução de até 50% das despesas. Uma parte dos cortes já aconteceu pelo simples fato de as modalidades terem suas competições suspensas, o que evita gastos com viagens e treinos, por exemplo.

No futebol profissional, com mudanças no elenco e redução dos salários em 25% durante a pandemia, a folha salarial chegou a R$ 8,5 milhões mensais, segundo disse o gerente de finanças Roberto Gaviolli em entrevista coletiva. Ainda de acordo com o executivo, o custo mensal com salários e direitos de imagem do time principal deve ser de aproximadamente R$ 11 milhões com a volta das remunerações integrais. Em 2019, o gasto mensal médio com a folha de pagamento do time foi de R$ 17,2 milhões, de acordo com dados do balanço corintiano.

A venda de jogadores aparece no balancete do primeiro semestre como uma das principais causas para o superávit no período. Foi registrada a receita de R$ 142,2 milhões nos primeiros seis meses do ano com repasse de direitos federativos. O dinheiro da venda de Pedrinho ainda não chegou, mas parte dele já entrou na conta. Segundo a diretoria, contabilmente, o procedimento está correto levando-se em conta as datas previstas no contrato.

O jogador foi negociado por 20 milhões de euros com o Benfica. O clube brasileiro tem direito a 70%, mas fez um acordo com o agente do atleta, Will Dantas, para repassar 30% parceladamente, mesmo se conseguir adiantar o valor total junto a uma instituição financeira.

O superávit em junho contrasta com o déficit de R$ 94,9 milhões registrado no primeiro semestre do ano passado. A agremiação terminou 2019 com R$ 177 milhões no vermelho. Porém, uma revisão nas contas para incluir quantia cobrada pelo JMalucelli na Justiça referente à venda de Jucilei deve fazer o número negativo chegar perto de R$ 200 milhões.

Alegando falhas no balanço, como a não inclusão do montante total cobrado pelo JMalucelli, o Conselho de Orientação (Cori) recomendou ao Conselho Deliberativo que reprove as contas relativas ao ano passado. O estatuto alvinegro aponta a reprovação das contas como motivo para abertura de processo de impeachment contra o presidente. A reunião para a votação sobre o tema ainda não foi marcada.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone