PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Desafetos da Turner mostram a Bolsonaro novo bloco empoderado por MP

Perrone

01/07/2020 04h00

Abrir um canal de comunicação com Jair Bolsonaro e mostrar a ele que o grupo se sente empoderado após a publicação da MP 984 estão entre os principais objetivos dos representantes de oito clubes que se encontram com o presidente da República nesta terça (30). Os dirigentes também aproveitaram o encontro para dizer ao chefe do executivo que a Turner, ao se desentender com esses times, fez movimento favorável ao monopólio da Globo nas transmissões dos jogos no Brasil na contramão do que a Medida Provisória provocou.

Os representantes de Internacional, Coritiba, Athletico, Palmeiras, Santos, Bahia, Ceará e Fortaleza deixaram claro para o presidente que formam um bloco sólido, unido por pautas em comum e que conta até com assessorias jurídica e de imprensa únicas. Também explicaram como ganharam força com a MP 984, que dá ao mandante o direito de negociar os direitos de transmissão dos jogos e que ainda precisa de aprovação do Congresso Nacional. Antes, era preciso consentimento dos dois times de cada partida para a transmissão. Agora, por exemplo, quem não tem contrato com a Globo e jogar em casa pode vender a partida para quem quiser. Vale lembrar que o presidente tem longo histórico de desentendimentos com a emissora.

Os cartolas procuraram mostrar para Bolsonaro a mudança de status que a MP deu a um grupo que antes era visto como minoria, por não ter assinado contrato para TV fechada com a Globo, e que agora, agindo em grupo, pode ter os direitos de transmissão do equivalente a 40% do Brasileirão, nos cálculo dos representantes desses clubes. Também foi dito ao presidente que o bloco deve ganhar outras adesões.

"Os clubes que estavam lá é que organizaram (a ida para Brasília). A gente vem se juntando há muito tempo. A gente já tem advogado constituído conjuntamente, assessoria de imprensa constituída conjuntamente, estratégias definidas, regras de decisão interna. Os clubes já estão bem unidos há muito tempo, então a gente achou que precisava dialogar com o poder executivo e com o poder legislativo e começamos isso agora. Fomos dizer que a MP é boa e que a gente apoia, dentre outras coisas. Discutimos lei de telecomunicações no futebol, um monte de coisas", disse ao blog Guilherme Bellintani, presidente do Bahia.  O dirigente afirmou também que os clubes preparam uma nova ida para Brasília para conversar com congressistas.

Para os cartolas a visita foi considerada bem mais do que uma mera formalidade. Segundo um dos participantes, foram cerca de 2 horas e 15 minutos de conversa com Bolsonaro. Uma das pautas mais sensíveis foi em relação ao desentendimento deles com a Turner. Os clubes trabalham com a informação de que o Governo Federal está disposto alterar a lei que impede operadoras de TV a cabo de terem o controle de canais ou de empresas que produzem conteúdo de olho em investidores como a Turner. Os cartolas provocaram a reflexão sobre possibilidade de uma companhia que acaba de entrar em atrito num movimento que, em tese, facilita o monopólio da Globo no futebol, algo que não agrada o governo, ter uma MP eventualmente favorável a ela.

A Turner acusa os clubes de descumprirem uma série de cláusulas contratuais. Eles rechaçam a tese, e acreditam que a empresa esteja em busca de um pretexto para rescindir os acordos sem arcar com uma multa bilionária, algo que a empresa nega.

"Foi uma reunião bastante proveitosa. De forma conjunta e unânime, manifestamos total apoio à nova MP. Entendemos que isso é saudável e bom para o futebol brasileiro. Outro tema que estava dentro da nossa pauta foi sobre a Turner, para ele (Bolsonaro) entender como tem sido esse movimento dentro do nosso segmento e explicar alguns casos que vêm acontecendo desde a assinatura do contrato com eles", disse ao blog Marcelo Paz, presidente do Fortaleza.

Cade e ministério

O grupo ainda se encontrou durante aproximadamente uma hora com o superintendente-geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), Alexandre Cordeiro. Ao representante do órgão que analise supostos casos de monopólio, o grupo sugeriu estudos de modelos de negociação de direitos de transmissão de jogos em outros países como forma de ajuda nas análises a respeito das questões no Brasil. Outros temas que resvalam nas transmissões dos jogos foram conversados na reunião, também de aproximadamente 60 minutos,  com Fabio Wajngarte, secretário-executivo do Ministério das Comunicações.

No final dos encontros, houve membro da delegação entendendo que o dia pode ter sido histórico no sentido de fortalecer clubes dispostos a se unirem em busca do que consideram melhores condições comerciais e legais para seus desenvolvimentos.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.

Blog do Perrone