Blog do Perrone

Arquivo : Cícero

Com jogadores na mira, cartolas do São Paulo poupam Dorival Júnior
Comentários Comente

Perrone

Apesar de ainda não ter afastado o time da zona de rebaixamento do Brasileiro, Dorival Júnior tem sido poupado de críticas da diretoria e de conselheiros mais próximos da cúpula do São Paulo.

O discurso interno é de que a equipe evoluiu com o substituto de Rogério Ceni e que com mais tempo ele deve salvar os tricolores do inédito vexame da queda para a segunda divisão nacional.

Nesse momento, os canhões de novo estão voltados para jogadores que são criticados por suposta falta de comprometimento. A queixa é antiga. Intramuros essa acusação foi feita a Cícero, afastado do elenco. O atleta rejeita a crítica e afirma ter sido escolhido para carregar a culpa pela má fase são-paulina.

Outro criticado é o lateral-esquerdo Júnior Tavares, que recentemente desagradou parte dos torcedores pelo simples fato de pintar o cabelo. Não é o caso dele, mas a tendência é de que mais jogadores deixem o elenco. O afastamento de Cícero é visto por cartolas do clube como um recado aos demais: quem não demonstrar comprometimento com a equipe deve ter o mesmo destino.

Em reunião nesta quinta-feira entre a diretoria e conselheiros de sua base de apoio, Vinicius Pinotti, diretor executivo de futebol, afirmou que está sendo feita uma mudança de perfil no grupo de jogadores.

Nesse cenário, predomina no departamento de futebol a tese de que Rogério Ceni deixou uma herança maldita, como mostrou o Blog do Menon. Pinotti, contratado depois do treinador, é o responsável por se desfazer dela.

Não é demais lembrar que a diretoria nunca teve a obrigação de contratar os atletas indicados pelo ex-goleiro ou por outros técnicos. Sem a assinatura dos cartolas nenhuma contratação é feita.

 


Conselheiros suspeitam que atleta vazou informações para fritar Ceni
Comentários Comente

Perrone

O vazamento sobre episódios envolvendo Rogério e jogadores despertou a desconfiança de conselheiros graduados do São Paulo e com trânsito na diretoria e de pelo menos um membro do Conselho de Administração do clube de que há alguém no elenco interessado em fritar o treinador.

A suspeita é de que um ou mais jogadores descontentes fizeram com que a informação chegasse à imprensa para queimar Ceni. Porém, ninguém arrisca quem seriam os delatores.

Foram dois casos que saíram do vestiário. Um bronca do treinador em Rodrigo Caio após o zagueiro, ao ser sincero, evitar que o corintiano Jô tomasse cartão amarelo, e o chute dado por Ceni num quadro usado para explicações táticas no vestiário e que atingiu Cícero no intervalo do mesmo jogo com o Corinthians.

A suspeita de que o vazamento foi feito por um ou mais atletas também deixou nos mesmos cartolas a dúvida sobre se Ceni teria perdido o controle do vestiário. Até então, apesar dos maus resultados recentes, sua situação era considerada sólida.

A partir dessas notícias, foi ligado o sinal de alerta. A expectativa desse grupo passou a ser em relação ao comportamento dos jogadores nos próximos jogos para saber se havia algum risco de Rogério ficar sem clima para seguir no cargo. A cúpula tricolor, no entanto, em nenhum momento deixou de blindar o técnico.

Mas, antes de a equipe voltar a campo, líderes do elenco, como Rodrigo Caio, Lugano e Pratto, além de Cícero, defenderam Ceni publicamente numa tentativa de mostrar apoio do grupo ao treinador.

Os discursos acalmaram os bastidores do Morumbi, mas a desconfiança de que algo cheira mal no vestiário são-paulino ainda não foi dissipada.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>