Blog do Perrone

Arquivo : Copa São Paulo

Apesar de europeus, Corinthians vê renovação de zagueiro da Copa SP próxima
Comentários Comente

Perrone

A diretoria do Corinthians admite que Caetano, 19 anos, zagueiro do time na Copa São Paulo, desperta o interesse europeu. Ele tem contrato até dezembro de 2019 e na metade do ano pode assinar pré-contrato com outro clube. Porém, a direção alvinegra avalia que a renovação do compromisso do jogador está praticamente acertada.

“Na verdade está tudo acordado entre as partes, está bem encaminhado. O desejo do jogador é ficar no Corinthians, seguir carreira aqui. Está tudo acertado, tempo de contrato, salário”, afirmou ao blog Fernando Yamada, gerente das categorias de base do Corinthians.

Ele declarou que o zagueiro aceitou um novo contrato válido por três anos. O blog não conseguiu localizar os responsáveis pela carreira de Caetano para confirmar o avanço da negociação.

De acordo com o blog do jornalista Jorge Nicola, o Porto tem interesse em levar o beque após o fim do compromisso atual, assinando um pré-contrato no meio do ano. Assim não teria que pagar pelos direitos do atleta.

“A gente já esperava a especulação (por parte dos clubes europeus) desde a Copa RS. Por causa do estilo europeu dele, ele joga em pé, é inteligente”, disse Yamada.


Opinião: destaque do Corinthians na Copinha, Oya é desafio para Carille
Comentários Comente

Perrone

Fábio Carille esteve em Itu para assistir a vitória do Corinthians por 4 a 1 sobre o Sinop-MT, no último sábado (5) e viu Fabrício Oya marcar seu terceiro gol em dois jogos nesta Copa São Paulo. O treinador corintiano tem motivos de sobra para pensar sobre o futuro do destaque alvinegro na competição.

Aos 19 anos, o meia faz sua quarta e última apresentação no torneio sub-20. Então, caberá a Carille decidir o que o clube deve fazer com sua revelação nos próximos meses.

Obviamente, Oya não é um jogador pronto. Precisa ser lapidado. Também não merece carregar o status de craque, pelo menos por enquanto. Porém é o atleta de maior potencial no atual time corintiano na Copinha. Deve ser tratado com boa vontade pela comissão técnica da equipe profissional e pela diretoria alvinegra.

O meia tem bom passe, inteligência na armação de jogadas, faz assistências e gols. Ainda é especialista em cobranças de escanteios e faltas, características importantes para definir jogos.

Como ocorreu recentemente com Pedrinho, há no Parque São Jorge e em parte da imprensa quem diga que Oya não tem força muscular para aguentar o tranco no profissional. Porém, faz parte da tarefa da comissão técnica saber alternar o trabalho de ganho muscular com a maturação em campo.

É mais interessante para o clube, cuidar metodicamente da evolução de Oya, dando aos poucos oportunidades para ele na equipe de cima, do que terceirizar o serviço para uma agremiação pequena do futebol brasileiro, como o alvinegro faz constantemente. A temporada é longa e desgastante, sempre haverá espaço para dar chance a um jovem promissor como Oya.

Será desafiador para Carille entender as necessidades do meia. E do Corinthians, mas não só a curto prazo. Os resultados imediatos são fundamentais para a sobrevivência dos treinadores, no entanto, preparar jogadores com potencial para se tornarem grandes e pensar no que o clube pode ganhar lá na frente são características dos treinadores de ponta.

 


Copa São Paulo tem queda em venda de publicidade estática
Comentários Comente

Perrone

Reprodução/SporTV

Chama atenção nas transmissões dos jogos da Copa São Paulo de Futebol Júnior a escassa quantidade de patrocinadores em placas de publicidade em volta dos campos. São apenas dois: Eurofarma e Sicredi.

Tal situação evidencia uma queda de interesse de empresas nesse tipo de anúncio na mais badalada competição da categoria do país. De acordo com dados da Federação Paulista, coordenadora do torneio, no ano passado a publicidade estática foi negociada com cinco parceiras. A venda, então, caiu em mais da metade.

Também conforme dados da FPF, em 2018 havia apenas um patrocinador ligado à arbitragem e agora são três. Em tese, esse aumento ajuda a minimizar a diminuição dos anúncios ao redor dos campos. Mas a federação não revela os valores de cada modalidade de patrocínio.

A redução de publicidade estática contrasta com o que a FPF chama de edição com maior exposição da história da tradicional competição graças à transmissão de mais de 220 jogos. Consultada pelo blog sobre o tema, a FPF enviou a seguinte nota:

“A Copa São Paulo de 2019, que chega à 50ª edição, será a com maior exposição da história. Serão mais de 220 jogos transmitidos ao vivo, por Globo, SporTV, ESPN, Rede Vida, além da FPF TV, canal de streaming da Federação Paulista. Temos dois parceiros de placas de campo nesta edição, Sicredi e Eurofarma, além de três patrocinadores da arbitragem: AOC, Odontocompany e Sky, o que evidencia a relevância da competição”.


Opinião: Corinthians e Tite têm nova chance para cuidarem bem da base
Comentários Comente

Perrone

O elenco finalista da Copa São Paulo diante do Flamengo nesta segunda dá a Corinthians e Tite uma nova chance de mostrar que sabem fazer bom uso das categorias de base do clube. Jogadores com potencial não faltam. Maycon, Léo Príncipe, Matheus Pereira, Gabriel Vasconcelos e Leo Jabá estão entre eles.

Cabe ao treinador não só subir os moleques que considera melhores, mas aproveitar os jovens gradualmente, se dedicando à formação deles, não pensando apenas na temporada de 2016.

Por sua vez, a diretoria precisa revisar e renovar contratos, aumentar multas rescisórias e recomprar direitos econômicos que estão nas mãos de empresários.

Desperdiçar talentos que brotam no “terrão” é pecado mortal que o Corinthians vem cometendo. Nos últimos cinco anos foram quatro finais de Copinha (contando a de 2016) e só um jogador com status de titular no elenco principal atualmente: Malcom.  Arana luta por uma vaga e Yago talvez tenha uma chance com a saída de Gil. É muito pouco.

 


Salários atrasados enfraqueceram Corinthians na briga por Dudu
Comentários Comente

Perrone

A ultrapassagem do São Paulo no Corinthians em relação à contratação de Dudu tem a ver com salários atrasados no Parque São Jorge. Isso porque Mário Gobbi quer evitar gastos agora para tentar quitar as dívidas com os jogadores. Assim, ele planejou pagar a primeira parcela da compra de Dudu ao Dínamo de Kiev só em maio. O São Paulo levou vantagem porque começaria a pagar imediatamente.

Gobbi priorizou a quitação das dívidas com o elenco. Decidiu contratar só quem o treinador considerar essencial e postergar ao máximo o pagamento.

Fiel a esse pensamento, o dirigente só topou o leilão com o São Paulo por Dudu porque Tite indicou o jogador antes mesmo de assinar contrato para voltar ao time. No momento em que analisava o elenco com o gerente Edu Gaspar, o técnico falou da importância de contar com o atacante.

Para satisfazer ao treinador sem gastar dinheiro (ou crédito) que poderia amenizar os salários atrasados, o Corinthians fez uma proposta de 3,6 milhões de euros por 60% dos direitos econômicos do atacante, com o primeiro pagamento só no quinto mês do ano, como mostrou o UOL Esporte. Já a diretoria tricolor ofereceu 3 milhões de euros por 50% com a primeira parcela à vista. Os ucranianos gostaram mais do que ouviram dos são-paulinos, apesar de Dudu manifestar preferência pelo Corinthians.

Como entregar o cargo em fevereiro sem dever salários para os jogadores virou uma questão de honra para Gobbi, a filosofia de só contratar o extremamente necessário e sem mexer no bolso agora não vale só com Dudu. Mas para levar seu plano até o final, no entanto, o presidente terá que resistir à pressão para reforçar o elenco feita pelo grupo de Andrés Sanchez e Roberto de Andrade, candidato da situação à presidência. Cobrança que também parte da torcida.

ACOMPANHE AS ÚLTIMAS NEGOCIAÇÕES DO MERCADO DA BOLA


Vereador Aurélio Miguel é pivô de nova crise política no São Paulo
Comentários Comente

Perrone

O vereador Aurélio Miguel (PR) é o protagonista de uma nova crise política no São Paulo. Conselheiros do grupo de Juvenal Juvêncio se movimentam para impedir que o ex-judoca ganhe um cargo vitalício no Conselho Deliberativo. A alegação é de que ele não deve ter direito ao posto enquanto enfrentar acusações de corrupção por sua atividade na Câmara Municipal.

Carlos Miguel Aidar está recebendo indicações de todos partidos políticos para preencher as dez vagas de conselheiro vitalício abertas no clube. O plano é levar ao ao Conselho Deliberativo uma chapa pluripartidária, evitando disputa no órgão. O grupo Pró São Paulo enviou dois nomes para o presidente: Miguel de Souza (mais votado na convenção interna) e Aurélio Miguel (segundo colocado). Agora, Aidar vai escolher um deles. Porém, antes mesmo da definição, o presidente sofre pressão para deixar o ex-atleta de fora por causa das acusações.

Os desafetos de Aurélio já iniciaram um movimento para tentar impedir que a lista apresentada por Aidar tenha o apoio mínimo de 55 conselheiros necessário para que a chapa seja levada à votação, isso se Aurélio estiver na relação. Outra estratégia dos descontentes é se abster de votar. Parte dos aliados de Juvenal acredita que Aidar está disposto a eleger o vereador para provocar o ex-presidente, adversário político do ex-judoca.

O ex-judoca já foi candidato à presidência do clube pela oposição, mas na última eleição para o Conselho Deliberativo não se candidatou. Segundo José Roberto Canassa, um dos líderes do Grupo Pró São Paulo, na ocasião, Aurélio, preferiu não tentar a vaga para evitar que as acusações enfrentadas por ele fossem usadas na campanha e prejudicassem sua chapa.

Mesmo o sócio que não é conselheiro, como Aurélio, pode ser nomeado membro vitalício do órgão. Os eleitos só são substituídos após morrerem. “Não existe nenhum impedimento para que ele seja candidato. O Aurélio não teve nenhuma condenação e se acusações bastassem para inviabilizar a indicação, outras pessoas no clube não poderiam ser indicadas. Existem fofocas sobre gente que está lá e que teria tirado vantagem do clube. Se fosse assim, elas também não poderiam fazer parte do Conselho”, disse Canassa sem citar nomes.

O blog não conseguiu entrar em contato com Aurélio, que sempre negou ter cometido irregularidades. Por sua vez, Aidar afirmou que ainda não definiu a lista. Está estudando os nomes e deve bater o martelo na semana que vem.

A polêmica pode fazer o presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Augusto de Barros e Silva, pedir um parecer do Conselho Consultivo sobre a situação de Aurélio no caso de sua indicação ser aprovada pelo presidente.

A votação dos novos conselheiros vitalícios deve ser marcada para 15 de dezembro.


Revolta de cartola e numerada mista aumentam riscos na Copinha
Comentários Comente

Perrone

É forte o cheiro de confusão na final da Copa São Paulo entre Corinthians e Santos, neste sábado. A rivalidade entre os finalistas já seria um ingrediente natural para preocupar os responsáveis pela segurança. Mas o risco aumenta com a revolta em público de dirigentes do Santos e a venda de cadeiras numeradas para as duas torcidas, sem divisão.

Em nota enviada à Federação Paulista e publicada no site do clube, o presidente em exercício do Santos, Odílio Rodrigues, diz que o ato da FPF de dar mais ingressos ao Corinthians, tratado como mandante, gera repercussões. E que, assim, o rival deve ser responsabilizado legalmente por eventuais conflitos. Tal declaração pode pilhar ainda mais torcedores santistas. Situação mais grave para os que vão dividir as cadeiras numeradas com corintianos. Nesse cenário, dificilmente a decisão passará em branco em termos de segurança.

Vale registrar que, apesar da queixa do Santos de receber 2.780 ingressos a menos do que adversário, por volta das 11h desta sexta ainda havia bilhetes à venda, sem fila, para os santistas no Pacaembu. E aglomeração entre corintianos que sonhavam conseguir um ingresso de numerada.


Preferido, Muricy tem que superar fama de aproveitar mal novatos
Comentários Comente

Perrone

Favorito de parte da torcida e de conselheiros do São Paulo para a vaga de Ney Franco, Muricy Ramalho também recebe críticas no clube. Ele é visto como um treinador que prefere os mais rodados aos jovens revelados em casa. Pecado mortal no Morumbi.

Muricy discorda da fama, mas as críticas de cartolas santistas em relação à forma como os meninos da Vila eram tratados por ele lustraram mais ainda esse rótulo.

Assim,  se voltar ao velho lar, ele chegará duplamente pressionado. Terá que resgatar medalhões, como Luis Fabiano, e garimpar pelas categorias de base.


Após Marin, vice da Federação Paulista aparece no pódio com medalha da Copa São Paulo
Comentários Comente

Perrone

No aniversário de um ano do episódio em que José Maria Marin embolsou uma medalha da Copinha, outros personagens que não entraram em campo estavam no pódio “medalhados”.

Reinaldo Carneiro Bastos, vice da Federação Paulista de Futebol, foi um dos que estavam com medalha no pescoço. Sem constrangimento.  O blog não conseguiu localizar o dirigente, que também atua na CBF, para falar sobre o assunto.

Além de medalhas para quem não jogou, curioso notar que quem ficou no alto do pódio não foram os santistas campeões. Lá em cima ficaram os cartolas.

Reinaldo Carneiro Bastos (à esquerda, de barba) com medalha no pescoço


Parentesco e desorganização afastaram do Corinthians Léo Citadini, destaque do Santos na Copinha
Comentários Comente

Perrone

Um dos destaques do Santos campeão da Copinha, Léo Citadini, esteve duas vezes perto de jogar no Corinthians.

A primeira aconteceu há cerca de cinco anos. Seu pai procurou Antônio Roque Citadini, hoje ex-dirigente do clube.  Roque e o avô de Léo são primos.

O pai do garoto queria ajuda para que ele fizesse um teste no clube, mas foi desaconselhado pelo parente distante. Ouviu que a falta de organização na base alvinegra seria prejudicial à carreira do menino. Rolava até denúncia (nunca comprovada) de pedofilia nos times amadores do Parque São Jorge.

Ele também recebeu como explicação que o sobrenome Citadini poderia fazer com que Léo fosse perseguido sob a acusação de ser peixinho de um dirigente. Vale lembrar que Nesi  Curi, comandante das categorias de base, detestava Antônio Roque. Então, o pai desistiu da ideia.

Em 2011, porém, os cartolas corintianos “descobriram” o jogador no Guarani. Fizeram uma proposta recusada pelo time do interior. Acabaram perdendo a jovem promessa mais tarde para o Santos, clube em que já tinha jogado por empréstimo.