Blog do Perrone

Arquivo : Pedrinho

Titularidade aumenta assédio de agentes e imprensa da Europa a Pedrinho
Comentários Comente

Perrone

A titularidade de Pedrinho no Corinthians aumentou o assédio  ao jogador. Seu agente, Will Dantas, recebe quase que diariamente telefonemas de jornalistas europeus tentando confirmar o interesse de clubes do continente no jogador.

Também são comuns os contatos de intermediários que falam da possibilidade de levá-lo para a Europa. Já houve até quem tentasse, em vão, conseguir uma autorização para negociar o atleta na Europa.

Entre os repórteres, a maioria é espanhola e inglesa.

Apesar da movimentação, até agora não chegou proposta oficial desde que o Ajax, da Holanda, acenou com 20 milhões de euros (cerca de R$ 87,9 milhões) e não seduziu o Corinthians.

Porém, a expectativa do estafe do jogador é de uma chance razoável  de algo chegar até o final do mês, quando se encerra a janela de transferências na Europa, principalmente por conta da atuação de Giuliano Bertolucci.

Um dos agentes mais influentes do mundo, ele tem uma parceria com Dantas relativa a Pedrinho. Foi o trabalho dele que resultou na oferta dos holandeses.

A questão é se alguém vai se aproximar da multa de 50 milhões de euros (aproximadamente R$ 219,8 milhões) estipulada no contrato do corintiano.

O entorno do atleta descreve o meia-atacante como sem pressa para deixar o alvinegro e avesso a mercados secundários, como China e futebol árabe.

 


Opinião: antes de pensar em tirar Loss, Andrés precisa mudar seus métodos
Comentários Comente

Perrone

Natural que os maus resultados e a fragilidade demonstrada pelo Corinthians na derrota por 3 a 1 para o São Paulo neste sábado (21) deixem Osmar Loss ameaçado.

Porém, há dirigentes com mais tempo que ele em seus cargos apresentando desempenho insatisfatório. Antes de analisar se demite o treinador, Andrés Sanchez precisa cobrar seus diretores e pensar seriamente em trocas.

Como manter um diretor de futebol que não consegue evitar desmanches na comissão técnica e no elenco, não é capaz de planejar a reposição das perdas e traz reforços discutíveis, como Danilo Avelar, Roger e Jonathas?

Loss erra de maneira juvenil ao insistir em escalar Marquinhos Gabriel e com Pedrinho fora do time. Mas falha também a diretoria por ainda manter Marquinhos.

Como defender um diretor de futebol que renova o contrato de Balbuena aceitando uma multa de cerca de R$ 18 milhões? E que perde seu melhor jogador (Rodriguinho) para o Egito em troca de R$ 15 milhões para o clube?

Por tudo isso, Duílio Monteiro Alves deveria estar mais ameaçado do que Loss. Mas não está porque Andrés comanda diretamente o futebol. Todos esses equívocos têm suas digitais. Não há como substituir o presidente neste caso, mas se agisse com profissionalismo, Sanchez pelo menos cogitaria se afastar do futebol para tentar interromper a desastrosa gestão.

O departamento de marketing também precisa ser avaliado. O fato de a equipe não conseguir patrocinador principal atrapalha financeiramente e prejudica o clube no momento de tentar segurar jogadores. A falta de solução para os naming rights da Arena Corinthians também sufoca o alvinegro financeiramente. Luís Paulo Rosenberg precisa ser cobrado.

Para esse choque de gestão acontecer, o presidente corintiano deve mudar seu comportamento. Tem que abandonar a arrogância que o faz pintar o Corinthians como maior do mundo e acreditar que ele é ele também é o melhor cartola de todos os tempos, um cara que tudo pode. O conformismo a cada oferta que aparece para seus jogadores também precisa mudar. Vale lembrar que Flávio Adauto, ex-comandante do futebol corintiano, resistiu às propostas e cumpriu a promessa de manter Arana até o fim do ano passado. Provou que não é impossível, como faz parecer o deputado federal.

Também é necessário que o presidente comece a se recusar a assinar contratos desequilibrados, mais favoráveis a empresários, jogadores e outros parceiros do que ao clube.

Ou Andrés revê conceitos, muda seus métodos e promove uma radical transformação na maneira de atuar de sua diretoria ou a Fiel está fada a sofrer em 2018 muito mais do que por apanhar do São Paulo.

 


Fagner e Pedrinho estão entre os que o Corinthians corre risco de perder
Comentários Comente

Perrone

Depois de o Corinthians vencer o Botafogo-RJ por 2 a 0, na última quarta (18), Andrés Sanchez afirmou que não poderá impedir mais jogadores que queiram deixar o clube na atual janela de transferência europeia. A afirmação reflete o sentimento da diretoria de que outros atletas podem sair, como aconteceu recentemente com o paraguaio Balbuena, agora zagueiro do West Ham, da Inglaterra.

O alvinegro corre o risco de perder pelo menos mais dois atletas: Fagner e Pedrinho. Ambos têm sido alvo de sondagens de agremiações do exterior.

Um dos que estão de olho no lateral-direito da seleção brasileira é o Napoli. Nos bastidores, a cartolagem alvinegra admite que há mais de uma sondagem sobre o atleta que terminou a Copa da Rússia como titular de Tite.

Por sua vez, Pedrinho fez o Ajax se movimentar. Giuliano Bertolucci, um dos agentes mais influentes na Europa e amigo do presidente corintiano, foi o responsável por fazer a sondagem. A informação foi dada inicialmente pelo Globoesporte.com. Conforme o blog apurou, o agente acenou com 20 milhões de euros (cerca de R$ 90,1 milhões) a serem pagos pelos holandeses. O Corinthians respondeu que só libera o meia-atacante pelo valor da multa rescisória, que é de 50 milhões de euros (aproximadamente R$ 225,3 milhões).

Apesar da negativa, pessoa próxima ao jogador afirma existir a possibilidade de o time europeu reabrir a conversa, mas ainda com valor inferior à multa.

O Ajax não foi o primeiro a manifestar interesse em Pedrinho. No mês passado, a Udinese sondou o estafe do jogador. Até agora, porém, a equipe italiana não reapareceu para fazer uma proposta.

O Corinthians possui 70% dos direitos econômicos do meia-atacante. A fatia restante pertence a empresa do agente do jogador, Will Dantas.


Sondado pela Udinese, Pedrinho quer ficar até mais dois anos no Corinthians
Comentários Comente

Perrone

Na semana passada, Will Dantas, empresário que acompanha o meia-atacante corintiano Pedrinho desde as categorias de base, postou em sua conta no Instagram foto com representante da Udinese (Itália). Nesta segunda (14),  ele afirmou ao blog que o time italiano fez uma sondagem sobre o jogador, mas que as conversas não avançaram.

“Eles não fizeram proposta só sondaram mesmo. Mas não iriam chegar nem na metade do valor da multa, que é 50 milhões de euros (cerca de R$ 216 milhões). Então, nem levei esse assunto ao clube”, disse Dantas.

A multa não é o único obstáculo para eventuais interessados em levar o novo xodó da torcida alvinegra . Segundo o agente, Pedrinho não pensa em deixar o clube em breve. “Quem tem potencial não tem pressa pra ir para o exterior. O Pedrinho quer primeiro se firmar no Corinthians, ganhar títulos. Ele quer ficar mais um ano, um ano meio, dois anos no clube antes de pensar em sair. E eu também quero que ele fique para maturar mais. Tem que chegar na Europa mais cascudo”, declarou o empresário.

A empresa de Dantas tem 30% dos direitos econômicos do atleta de 20 anos. O restante pertence ao Corinthians.

Também de acordo com o agente, Pedrinho não tem pretensão de trocar o alvinegro pro um time pequeno ou médio da Europa. “Ele vai querer quem tenha condições de oferecer estrutura, plano de carreira e chance de conquistar títulos importantes”, afirmou o agente.

O meia-atacante tem contrato com o Corinthians até dezembro de 2020.


Romero vence concorrente Pedrinho em duelo estatístico
Comentários Comente

Perrone

Principais candidatos a ocupar na segunda partida da decisão do Paulista a vaga deixada por Clayson, expulso sábado, contra o Palmeiras, Romero e Pedrinho fazem um duelo estatístico com vantagem para o paraguaio.

Romero supera o colega na maioria dos fundamentos em atuações pelo Estadual deste ano, de acordo com o site Footstats. Porém, no quesito que mais interessa ao técnico Fábio Carille no momento, gols, eles estão empatados com um tento cada. Só que Romero atuou 14 vezes contra sete de Pedrinho.

Nas finalizações, o atacante da seleção paraguaia ostenta média de 0,4 acerto por partida diante de 0,1 do brasileiro. Romero também dá mais passes para os companheiros finalizarem: 0,9 por jogo. A marca de Pedrinho é 0,4.

O paraguaio é mais eficiente nos passes. Sua média de acerto por apresentação é de 19,6 contra 11,6 da revelação corintiana.

O cenário se repete nos cruzamentos certos com média de 0,5 para Romero e 0,1 para Pedrinho.

Na ajuda à defesa, o paraguaio também é mais efetivo. Ele faz em média um desarme por jogo contra 0,1 de seu concorrente na briga pela vaga. Mas Pedrinho perde bem menos a posse de bola. Sua média é de 0,9 bola perdida por jogo contra 4,8 de Romero.

Os adversários corintianos batem mais em Romero do que em Pedrinho. A cada partida, o paraguaio sofre em média 2,6 faltas enquanto o novato recebe 0,6 por partida.

Nos dribles certos a vantagem é de Pedrinho com média de 0,6 por jogo diante de 0,4 do colega.

 

 


Presidente admite dívida com dois, mas outros atletas cobram o Corinthians
Comentários Comente

Perrone

Roberto de Andrade afirmou nesta quinta (26) ao canal Fox Sports que o Corinthians deve luvas apenas para Jô e Gabriel entre os jogadores do elenco. Em seguida, disse que com o volante está tudo praticamente em dia. Porém, internamente, os estafes de pelo menos mais dois atletas cobram o clube: Jadson e Pedrinho.

Em ambos os casos os valores alegados são referentes a luvas. Em relação a Jadson, a cobrança feita junto à diretoria é de parte de uma parcela que deveria ter sido paga logo após o retorno dele ao time, no início do ano, e outra vencida em outubro. Com Pedrinho a conta é de três parcelas de luvas atrasadas.

Além das luvas, são contabilizadas comissões que não teriam sido pagas aos agentes dos dois jogadores.

A assessoria de imprensa do Corinthians afirmou que o clube não comentará o assunto e que se há algum problema os empresários entram em contato com a diretoria. Emerson Piovezan, diretor financeiro, e Flávio Adauto, diretor de futebol, não responderam até a publicação deste post às mensagens enviadas pelo blog.

Integrantes dos estafes de Jadson e Pedrinho também não quiseram dar entrevista sobre o tema.


Xodó da torcida, Pedrinho leva canseira para receber luvas do Corinthians
Comentários Comente

Perrone

Internamente, o Corinthians tem sido cobrado pelo estafe do meia Pedrinho sobre luvas atrasadas. São três parcelas pelas contas dos responsáveis pela carreira do jovem atleta.

No cálculo há também comissão para o empresário do atleta, Will Dantas. Procurado pelo blog, ele não quis dar declarações.

Por sua vez, a assessoria de imprensa do Corinthians afirmou que o clube não comentaria o assunto.

Segundo pessoa próxima ao jogador, ele comprou recentemente um imóvel para seus pais e contava com o dinheiro relativo às luvas para honrar o compromisso.

Xodó da torcida alvinegra, Pedrinho não tem sido aproveitado pelo técnico Fábio Carille. Ele ficou fora da lista de relacionados para o jogo desta segunda com o Botafogo, no Rio.


De Paulinho a Messi. Com quem as promessas brasileiras se dizem parecidas
Comentários Comente

Perrone

Colaboraram Dassler Marques e Vinicius Castro, do UOL em São Paulo e no Rio de Janeiro

Vinícius Júnior (Flamengo), Pedrinho (Corinthians), David Neres (Ajax), Luiz Araújo (São Paulo), Douglas (Fluminense)… A lista de jovens promessas do futebol brasileiro atualmente é extensa. Apesar do recente fracasso da seleção brasileira Sub-20, que não conseguiu se classificar para o Mundial, o momento das categorias de base no país é promissor.  O que explica essa fartura acima da média dos últimos anos?

Em busca dessa resposta e de conhecer melhor atletas tratados como joias por seus clubes, o blog entrevistou cinco jovens que geram grande expectativa em suas equipes: o flamenguista Vinícius Júnior, 16 anos, artilheiro e melhor jogador do último Sul-Americano Sub-17 e alvo do Real Madrid, o meia corintiano Pedrinho, 19 anos, destaque da última Copa São Paulo, o atacante são-paulino Luiz Araújo, 20 anos e por quem o Lille da França ofereceu, sem sucesso, 7 milhões de euros, Alan Guimarães, 17 anos e também destaque da seleção brasileira sub-17 campeã sul-americana neste ano, e o volante do Fluminense Douglas, 20 anos, outro que desperta o interesse de europeus.

Leia as entrevistas abaixo.

Qual jogador foi sua maior fonte de inspiração para seguir a carreira?

Alan Guimarães – “Minha maior inspiração acho que são os jogadores brasileiros, Ronaldinho, Rivaldo, Ronaldo. Quando era criança, eu via muito os jogos deles pela TV e ficava impressionado com o que eles mostravam”.

 Douglas – “Cresci vendo o Paulinho, volante da seleção brasileira, jogando muito pelo Corinthians.  Por tudo que ele passou e depois conquistou, sem dúvida ele foi o jogador que me inspirou para que eu seguisse firme em busca dos meus sonhos na minha carreira”.

Luiz Araújo – “Nunca tive um jogador em quem sempre me inspirei mesmo, mas sempre olhei para os melhores. Messi, Ronaldinho Gaúcho, sempre os melhores”.

Pedrinho – “Messi”.

Vinícius Júnior – “Quando eu era muito pequeno, e já gostava de futebol e começava a me interessar, adorava ver o Robinho jogar. Era o jogador que vivia melhor momento no Brasil, o mais falado, e chamava a atenção o modo dele jogar, de muita habilidade. E as pedaladas me marcaram muito também”.

Com o estilo de qual jogador acredita que seu estilo é mais parecido?

Alan – Pra mim é uma felicidade imensa ser brasileiro e tentar fazer o que eles (Ronaldinho, Rivaldo e Ronaldo) já fizeram na carreira deles. Agora vou em busca do meu sonho que é tentar chegar no nível deles”.

Douglas – “Acho que meu estilo de jogo se parece com o do Paulinho. Este ano estou tendo oportunidade de jogar mais solto como ele joga, mas sempre com a responsabilidade defensiva também. Temos um poder de marcação muito forte, uma qualidade grande no passe e o poder de chegar ao gol para marcar”.

Luiz Araújo – “Como sou um jogador de ponta, de velocidade, creio que meu estilo de jogo é parecido meio com o do Robben, do Ribéry, do Eden Hazard, que são jogadores que jogam pela beirada do campo”.

Pedrinho – “Eu sempre me inspirei no Messi. Tento pegar um pouco de cada coisa que ele faz. Tento ver os vídeos dele pra aprender cada dia com ele, seja lá me posicionando, driblando e com os passes”.

Vinícius Júnior – “Minha geração está crescendo vendo o Neymar, mas não acho legal fazer comparações. Cada jogador tem o seu estilo, mas também gosto de partir pra cima, de tentar o drible, de propor o jogo… Isso já é meu desde muito pequeno, desde o salão”.

Você pertence a uma safra de jogadores que é uma das com maior número de atletas promissores do futebol brasileiro. Na sua opinião, o que motivou essa grande quantidade de jovens talentosos?

Alan – “Na minha opinião a estrutura do clube ajuda bastante, tendo um campo bom, academia, uma alimentação boa que não vai prejudicar o atleta. Isso acho que é uma coisa essencial nos clubes que vai ajudar bastante o jogador de base chegar ao profissional. Mas não tendo isso no clube, acho que o jogador tendo talento e cabeça boa ele também possa chegar ao profissional. Tendo o talento que todos os jogadores da nossa geração têm, que eu acho que são jogadores de muita qualidade, mesmo sendo da base já têm experiência em campeonatos sul-americanos, nacionais, isso é uma das melhores coisas que podem fazer a nossa geração ser uma das mais fortes do Brasil e até do mundo”.

Douglas – “Acho que o trabalho de base vem sendo muito bem feito nos clubes, com grandes investimentos e aproveitando os atletas cada vez mais no elenco principal. Os campeonatos são muito disputados, com grandes times, vários talentos individuais se destacando e isso enriquece o nosso futebol.  A seleção brasileira está sempre conquistando os torneios que disputa e acho que isso é motivador para os jovens que estão buscando suas oportunidades”.

Luiz Araújo – “Fico muito feliz por essa geração ter muitas jovens promessas para o futebol. Isso mostra que os clubes estão valorizando muito a base, estão olhando com atenção para base. Então, espero que surjam muito mais promessas, muito mais garotos para que o futebol brasileiro só venha a crescer”.

Pedrinho – “Acho que o futebol vem evoluindo a cada dia, e os jovens hoje em dia vêm se dedicando cada dia mais a aprimorar seus fundamentos desde cedo, isso faz com que muitos se destaquem”.

Vinícius Júnior – “É a evolução do futebol. Vejo que o Brasil evolui a cada dia na parte tática e, com isso, a habilidade do jogador brasileiro, que é o que temos de melhor, acaba se sobressaindo. Nunca deixamos de ter bons jogadores. Acho que o momento da seleção brasileira ajuda também. Todos passam a olhar pra nós como o país do futebol novamente.”

Quando espera disputar sua primeira Copa do Mundo?

Alan – “Acho que primeiro tenho que pensar em chegar ao profissional. Trabalhar firme fazer um bom papel e a consequência virá se chegar à seleção brasileira e disputar a Copa do Mundo. Isso pra mim vai ser um sonho e acho que em 2022 posso estar representando a seleção brasileira numa Copa do Mundo. Pra mim vai ser um sonho realizado, um sonho meu e da minha família”.

Douglas – Jogar uma Copa do Mundo é o sonho de qualquer jogador de futebol, mas não gosto de fazer planos.  Prefiro focar no meu trabalho e dar o melhor de mim para o sucesso do meu time. Tive a oportunidade de ser convocado para a seleção de base e isso é muito gratificante. Sei que vestir a camisa da seleção brasileira é consequência de um bom trabalho feito no clube, então o meu foco total é no meu dia a dia para que as coisas venham a acontecer de forma positiva”.

Luiz Araújo – “É um sonho, todo jogador sonha em disputar uma Copa do Mundo e ganhar. Espero ser o mais rápido possível. Espero continuar trabalhando e quando o treinador da seleção achar que estou pronto, tenho certeza que vai me convocar, e eu espero poder ajudar o Brasil a ganhar uma Copa, seria um sonho realizado.”

Pedrinho – “O futuro a Deus pertence. Vou trabalhar forte agora, fazer meu trabalho pra me destacar pra em um futuro próximo poder pegar uma seleção brasileira e logo jogar uma Copa do Mundo.”

Vinícius Júnior – “É muito cedo pra dizer. Tenho que dar um passo de cada vez”.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>