PUBLICIDADE
Topo

Perrone

STJD se defendeu mais do que julgou

Perrone

27/12/2013 13h18

O  julgamento que manteve a perda de quatro pontos e o consequente rebaixamento da Portuguesa, salvando o Fluminense, se transformou num ato em defesa do STJD promovido por seus membros. Os argumentos dos advogados da Lusa ficaram em segundo plano.

Os integrantes do tribunal demonstraram demasiada preocupação em rebater artigos de outros advogados publicados pela imprensa e contrários à sentença proferida em primeira instância. Assim, passaram uma imagem corporativista. Pareciam estar ali apenas para defender com unhas e dentes seus colegas. A escalação de Heverton, suspenso, no jogo contra o Grêmio, perdeu importância, na opinião deste blogueiro.

Tal imagem arrogante foi reforçada com o manifesto divulgado na véspera por nove advogados militantes na Justiça Desportiva em apoio a decisões que confirmem a independência e autonomia do STJD. Foi uma pista de que nesta sexta os auditores se esforçariam para proteger a instituição.

O procurador Paulo Schmmitt, por exemplo, fez uma vigorosa defesa à honra e à autonomia de seus colegas de tribunal. Além de atacar e chamar de curiosos os que defenderam o uso do Estatuto do Torcedor e outras teses.

Preservada a autonomia do STJD, fadado à deterioração está o Brasileirão em ano de Copa do Mundo no país. O Campeonato Nacional está na rota de um tsunami de ações na Justiça comum, algo que poderia ter sido evitado nesta sexta.

Sobre o Autor

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

Sobre o Blog

Prioriza a informação que está longe do alcance das câmeras e microfones. Busca antecipar discussões e decisões tomadas por dirigentes, empresários, jogadores e políticos envolvidos com o futebol brasileiro.