Blog do Perrone

Arquivo : junho 2016

Projeto para ‘topo do mundo’ define futuro de Gabriel Jesus, diz agente
Comentários 40

Perrone

Depoimento dado ao blog por Cristiano Simões, empresário do palmeirense Gabriel Jesus, observado pelo Barcelona:

“Primeiro, o que vai definir o futuro do Gabriel é a vontade dele. Se chegar uma proposta do Barcelona ou de outro clube, ele que vai decidir. Como agente dele, vou aconselhar.

Com certeza o projeto é o que vai pesar na opinião dele. Tudo que fazemos na carreira dele é planejado para ele chegar ao topo do mundo. Então, ele vai levar em consideração o planejamento que vão oferecer. Vai jogar em qual time? Se for o Barcelona, vai ser para chegar e jogar no time principal? Vai jogar quantas vezes? Disputar quais competições? O planejamento será para ele virar titular quando? É assim que ele deve definir, se aparecer algo.

 A carreira dele nunca foi pensada de maneira imediatista. Se fosse, ele teria sido vendido quando ainda estava base do Palmeiras. Sempre foi pensada a longo prazo.

Se chegar a oferta, vai ser analisado se é o passo certo, se já foram dados todos os passos para que não falte um passo lá na frente. A proposta tem que se encaixar no projeto para ele atingir o topo do mundo.

E se houver negociação, terá que ser com muita transparência para não ter problema no futuro”


Corinthians sofre na estreia de Cristóvão como sofreu no fim da era Tite
Comentários 29

Perrone

Na estreia de Cristóvão, o Corinthians sofreu como em seu último jogo sob o comando de Tite, contra o Palmeiras.

Tanto na derrota diante do Galo por 2 a 1 como no clássico paulista os corintianos passaram sufoco no primeiro tempo com a marcação alta do rival no primeiro tempo. Nos dois casos, o Corinthians levou o empate para o vestiário, demonstrando ser capaz de vencer, mas tomou o gol na etapa final, de novo em lance polêmico. Marcos Rocha estava impedido no momento do cruzamento para Fred marcar, na opinião deste blogueiro, após rever o lance na TV.

Também como aconteceu no jogo derradeiro de Tite comandando a equipe, o Corinthians não teve forças para empatar. Só que dessa vez, tomou o segundo numa falha do jovem zagueiro Pedro Henrique, que pela falta de opções também jogaria com Tite.

No final, o time do treinador estreante fez seu gol e chegou a pressionar o adversário, sem conseguir marcar.

Se não melhorou a equipe, o que era esperado pelos poucos dias de trabalho, Cristóvão também não fez nenhuma bobagem. Merece que seu trabalho seja analisado com calma pelo torcedor corintiano (o mesmo vale em relação a Pedro Henrique).

O saldo é que o novo técnico vai ter que corrigir problemas que o antecessor ainda não tinha conseguido sanar, como a dificuldade para fugir da marcação em seu campo de defesa e as falhas nas finalizações.


Sócio cobra ação do Corinthians contra Odebrecht por obras da arena
Comentários 25

Perrone

O sócio do Corinthians Roberto Willian Miguel, conhecido como Libanês, protocolou requerimento nas presidências do clube e do Conselho Deliberativo pedindo que a diretoria tome medidas judiciais contra a Odebrecht por causa da não conclusão da arena alvinegra até hoje.

O documento, assinado pelo advogado Edmilson Norberto Barbato, também pede que o os presidentes Roberto de Andrade e Guilherme Gonçalves Strenger solicitem, em nome do Corinthians, ao juiz Sérgio Moro cópias de eventuais inquéritos e processos envolvendo a arena Corinthians, o vice-presidente do clube André Luiz Oliveira, o André Negão, alvo de uma condução coercitiva na operação Lava Jato, e o ex-presidente corintiano Andrés Sanchez. Oliveira trabalha no gabinete político da Andrés, deputado federal pelo PT, em São Paulo.

O sócio também requer informações detalhadas sobre o custo da arena e a posição atual da dívida corintiana em relação ao estádio.

Trecho do requerimento diz que “se verifica omissão da diretoria que até o presente momento não propôs (ou não deu notícias de ter proposto) nem sequer uma medida cautelar de produção de provas” ou uma ação para “compelir a construtora a finalizar o que é de sua alçada, sob pena de multa diária por atraso”.

Depois dessas explicações, é solicitado que “sejam promovidas sem maiores delongas todas as medidas judiciais cabíveis para resguardar os interesses” do clube contra a Odebrecht ou o fundo que administra a arena ou ainda terceira pessoa jurídica que possa ser considerada responsável.

Como mostrou o blog em setembro do ano passado, a construtora deu a obra por encerrada e entregou o estádio de maneira bem diferente em relação ao projeto inicial. Recentemente, o clube contratou uma empresa para fazer a auditoria que vai determinar se a Odebrecht deixou de realizar obras pelas quais o clube tem que pagar. Só depois da conclusão desse trabalho a diretoria vai conversar com a construtora sobre o que fazer. A ideia é descontar do preço final o que não tenha sido feito.

Essa não é a primeira cobrança feita por Miguel no clube. Ele já pediu informações sobre as remunerações pagas a Luis Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula. Insatisfeito com as respostas, entrou com uma ação de exibição de documentos na Justiça.

O blog telefonou para Strenger, mas o celular do presidente do conselho estava desligado.


MP cobra Corinthians por obras sociais ligadas à arena. São até R$ 12 mi
Comentários 36

Perrone

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) cobra na Justiça o Corinthians e a Prefeitura por não cumprimento de acordo que manteve a cessão ao Corinthians do terreno em que foi construído o estádio do clube, em Itaquera (zona leste da capital).

A cobrança pode chegar a R$ 12 milhões (mais correção), valor total das contrapartidas prometidas, que incluíam a construção de uma creche ainda não entregue. A quantia deve ser paga pelo clube, de acordo com o que está escrito em sentença de 2011 pela qual o trato foi homologado.

No último dia 9, a Justiça deu 20 dias para Corinthians e Prefeitura se manifestarem. E ainda pediu para o MP esclarecer se o Tribunal de Contas do Município não pode entrar no caso. Uma cópia da decisão foi enviada também para a BRL Trust, que cuida do fundo que administra a arena corintiana.

Por sua vez, o departamento jurídico do alvinegro confirmou a cobrança ao blog e afirmou que vai explicar nos autos todas as contrapartidas que já foram entregues. Disse ainda que a creche exigida no acordo está sendo finalizada.

O acordo previa que o Corinthians precisava reservar R$ 300 mil mensais para obras sociais (como hospitais e escolas, além de creches). Assim, assumiu uma dívida com a Prefeitura referente às contrapartidas até 2019. Seriam R$ 4 milhões em obras sociais até 2014 e o restante nos cinco anos seguintes. Como há o entendimento por parte do MP de que o investimento não foi feito, o valor total deve ser cobrado antecipadamente conforme prevê o acordo.

O clube pode conseguir descontar da cobrança o valor que já foi gasto.

VEJA TAMBÉM:

Corinthians sofre pressão por negociação e Romero vira candidato a sair

Luxemburgo se ofereceu para substituir Tite no Corinthians, mas foi vetado


Discurso indica pelo menos quatro mudanças de estilo com Tite na seleção
Comentários 20

Perrone

Na primeira entrevista coletiva de Tite como técnico da seleção brasileira deu para perceber que:

O relacionamento entre treinador e imprensa não deve ser tenso como foi na era Dunga. As indiretas foram substituídas por um discurso direto e compreensivo.

Como era de se esperar, triangulações e forte marcação a partir do momento em que o time perder a bola serão características da seleção brasileira.

Desafetos de Dunga, como Marcelo, estão com as portas abertas na seleção brasileira. O novo técnico disse não levará em conta o que se passou entre atletas e seu antecessor.

Haverá maior integração entre treinadores de clubes brasileiros e o técnico da seleção.

De novo, o time nacional terá um técnico que não dá muita bola para os problemas do presidente da Confederação Brasileira, Marco Polo Del Nero.


Opinião: Blindar Cristóvão é maior desafio da gestão de Roberto de Andrade
Comentários 16

Perrone

Cristóvão Borges não estava entre os treinadores desejados pela diretoria do Corinthians para substituir Tite. Acabou escolhido por falta de opções devido a recusa de outros pretendidos, como Roger Machado e Sylvinho. De cara, ele enfrentou a rejeição de torcedores e conselheiros. Isso além de já conviver com a sombra de Tite. Inevitavelmente, terá seu trabalho comparado com o do antecessor.

Esse cenário faz com que Cristóvão assuma o cargo sob pressão. Terá que provar que merece a confiança depositada nele pela diretoria. Por sua vez, a direção encara seu maior desafio desde que Roberto de Andrade assumiu a presidência.

Mais do que nunca será testada a filosofia do grupo Renovação e Transparência, ao qual pertence o atual presidente, de evitar trocar de treinadores durante a temporada. A tendência é que no primeiro momento de dificuldade torcedores e conselheiros pressionam a cúpula alvinegra para demitir o técnico, principalmente se houver algum nome interessante disponível no mercado.

Por isso, o trabalho da diretoria não acabou com a escolha do novo comandante. A direção terá de se dedicar diariamente a fazer Cristóvão dar certo no Corinthians. Isso significa fortalecer o treinador mostrando apoio a ele, além de oferecer as melhores condições de trabalho. Será importante o papel de Alessandro, substituto de Edu Gaspar, para corrigir eventuais erros de rota na trajetória de Cristóvão e evitar que aos poucos sua situação se torne insustentável antes do final do Brasileirão.

Trocar duas vezes de técnico na mesma temporada faria um clube que estava no topo da pirâmide no Brasil descer ainda mais degraus do que já desceu com a saída de Tite.


Rejeição a Cristóvão aumenta pedidos por técnico da base no Corinthians
Comentários 71

Perrone

A informação de que o Corinthians tenta a contratação de Cristóvão Borges gerou reação negativa de conselheiros influentes do clube e até de gente da diretoria.

A avaliação é de que o ex-jogador corintiano não tem currículo para ocupar o cargo, foge do perfil estabelecido pelo presidente Roberto de Andrade (ele afirmou querer uma novidade), e que não duraria muito como treinador do time.

Na carona dessa rejeição, aumentou o pedido no Parque São Jorge para que a diretoria dê uma chance a Osmar Loss, técnico vitorioso nas categorias de base alvinegras.

Os argumentos para defender Loss são de que ele representa uma novidade, tem obtido bons resultados, está integrado com o sistema implantado por Tite e é barato.

Além disso, quem defende essa ideia diz que é melhor ter calma, dar uma chance a Loss e, se não der certo, voltar ao mercado, talvez com novas opções.


Opinião: Desleixo da diretoria faz Corinthians passar sufoco por técnico
Comentários 25

Perrone

O Corinthians passa sufoco para definir o sucessor de Tite por bobeada de sua diretoria. Pelo menos desde 2015 era esperado que a vaga de Dunga caísse no colo do agora ex-técnico corintiano. E o que os cartolas alvinegros fizeram para se preparar? Nada.

Pior. O presidente Roberto de Andrade disse, sem ficar corado, que foi surpreendido com a ida de Tite para CBF.

O caminho óbvio era, no ano passado ou até antes, ter convencido Tite a preparar um auxiliar para assumir seu cargo. A transição não teria custos e o novato estaria apto a dar continuidade ao trabalho de seu antecessor.

Se o clube quer Sylvinho agora, deveria ter oferecido um plano de carreira antes de ele deixar o posto de assistente de Tite com a garantia de que seria o sucessor do chefe. Talvez ele preferisse isso a ser assistente na Itália.

Porém, os dirigentes deixaram o tempo passar e agora passam pelo constrangimento de ver treinadores dizendo publicamente ou indiretamente, como Eduardo Baptista e Roger Machado, que não querem assumir o clube. Tem também o caso de Sylvinho, que afirmou priorizar seus estudos na Europa, sem descartar voltar ao Parque São Jorge.

Além do desconforto de colecionar negativas, existe a parte pior, que é saber que não há neste momento um plano de trabalho para equipe. Vai depender de quem assumir a prancheta corintiana.

Indefinição costuma ser letal em campeonato de pontos corridos, como o Brasileirão. Quanto mais demorar para sair a fumaça branca, fica mais difícil de o Corinthians conquistar o segundo título nacional seguido. Pelo menos em tese.

Duro para o torcedor é saber que toda essa sangria poderia ser evitada com uma dose de planejamento.


Como Sylvinho foi de azarão a favorito no Corinthians
Comentários 52

Perrone

O ex-lateral Sylvinho, que hoje trabalha na Inter de Milão (Crédito: Felice Calabro/AP)

O ex-lateral Sylvinho, que hoje trabalha na Inter de Milão (Crédito: Felice Calabro/AP)

Atualizado às 13h15

Com Dassler Marques, do UOL, em São Paulo

Assim que Tite deixou o Corinthians, nesta quarta-feira, Sylvinho, auxiliar técnico da Inter de Milão, era considerado azarão na corrida pela vaga aberta. Porém, um dia depois, uma sucessão de fatos o transformou em favorito para ocupar o cargo.

Logo que se tornou pública a ida de Tite para a CBF, a diretoria corintiana foi procurada por gente do Conselho Deliberativo do clube sugerindo o nome de Sylvinho. A resposta, sem entusiasmo, foi a de que ele estava no radar. Isso porque Edu Gaspar, também de malas prontas para desembarcar na confederação, sugeriu o ex-lateral corintiano ao presidente Roberto de Andrade.

Mas a prioridade era Eduardo Baptista, da Ponte Preta. Já na quarta-feira à noite, o filho de Nelsinho disse que não abandonaria seu clube.

Enquanto isso, aumentava o lobby no Parque São Jorge por Sylvinho. Conselheiros tradicionais que viram o ex-jogador crescer no clube pressionavam a diretoria por sua contratação.

Como principais argumentos usaram o baixo custo, o fato de ele conhecer bem o Corinthians, poder dar continuidade ao trabalho de Tite por ter participado da comissão técnica dele no alvinegro e ter um conhecimento razoável do elenco.

Ao mesmo tempo em que os apoiadores de Sylvinho intensificavam sua campanha, cartolas do Grêmio afirmavam que Roger Machado foi procurado pelos corintianos e recusou a oferta.

A diretoria alvinegra negou na sexta-feira ter feito a proposta, mas a informação turbinou o apoio de torcedores a Sylvinho nas redes sociais.

O cenário na quinta-feira à tarde era de poucas opções para Andrade e de um nome barato com respaldo de boa parte do Conselho Deliberativo e da torcida. Além disso, se contratar Sylvinho, o presidente alvinegro não atropelará seu discurso. Ele afirmou em entrevista coletiva que quer novidade, ao falar sobre o sucessor de Tite.

Caso o novato Sylvinho chegue e não vingue, o cartola ainda terá como justificativa que o escolhido tinha apoio no clube e na arquibancada. Ou seja, poderá se defender se for acusado de errar na decisão.

Apesar de negar ter conversado com treinadores, a direção alvinegra iniciou o diálogo com o funcionário da Inter, mesmo tentando outros técnicos.

Por volta das 19h de quinta, já havia na diretoria corintiana quem garantisse a contratação do ex-atleta. Até a publicação deste post não havia confirmação da concretização do negócio.

Atualização

Nesta sexta, Sylvinho deu entrevista ao UOL Esporte afirmando que prioriza a conclusão de seus estudos na Europa, mas não descarta assumir o comando do Corinthians.

VEJA TAMBÉM:

Por que Tite impôs fórmula corintiana e Edu para estancar crise na seleção

Flu vence e afasta Corinthians dos líderes em 1º jogo sem Tite

 


Tite é mais um ‘adoçado’ por Del Nero que ‘vira-casaca’? Veja quem falta
Comentários 25

Perrone

A contratação de Tite pela CBF aumenta a lista de críticos de Marco Polo Del Nero que o dirigente conseguiu levar para seu lado. O novo treinador havia assinado em dezembro manifesto que pedia a renúncia do presidente da Confederação Brasileira.

O mesmo documento tinha a assinatura de Rogério Ceni, convidado para ser, durante a Copa América Centenário, auxiliar pontual da seleção brasileira, que teve como chefe de delegação um dos maiores críticos da confederação até então, Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo.

Os três não foram os únicos que criticavam Del Nero e ganharam um “doce” do dirigente. Tem sido rotineiro o cartola se aproximar de desafetos. Em dezembro do ano passado, por exemplo, Gustavo Feijó, um dos vices da CBF, se rebelou contra Del Nero. Um mês depois foi chamado pelo presidente para ajudar na seleção brasileira. Hoje, ele veste a camisa de Del Nero.

Mas a lista de críticos de Marco Polo ainda é grande. Veja abaixo os principais deles. Será que Del Nero consegue fazer um convite sedutor para cada um?

Galvão Bueno – Mais de uma vez criticou o presidente da CBF por não viajar com a seleção brasileira temendo problemas com a Justiça americana. Na última segunda, após a eliminação do Brasil na Copa América Centenário, fez seus ataques mais duros ao cartola.

Andrés Sanchez – O ex-presidente corintiano é o principal adversário político de Del Nero.

Romário – Ex-jogador e senador, trabalha diariamente contra Del Nero no comando da CPI que investiga supostas irregularidades na CBF.

Roberto de Andrade – É o mais recente desafeto de Marco Polo. O presidente corintiano falou cobras e lagartos em entrevista coletiva nesta quarta para manifestar sua revolta por, segundo ele, não ter sido informado pela CBF do interesse em Tite e outros funcionários do clube.

Loretta Lynch – Procuradora americana que atua no caso que investiga supostos atos de corrupção no futebol de mundial. Fazê-la mudar de lado valeria o troféu de campeão do mundo da persuasão a Del Nero.