Blog do Perrone

Arquivo : agosto 2014

Tropeços em casa, excesso de empates e língua afiada pressionam Mano
Comentários Comente

Perrone

Mano Menezes está longe de correr risco de perder o emprego, mas precisa de uma vitória nesta quinta, diante do Goiás, no Itaquerão, para brecar o crescimento das críticas contra ele no Parque São Jorge. São queixas de parte da diretoria e de conselheiros. Veja abaixo os motivos de pressão sobre o treinador do Corinthians.

Desempenho em casa

Mano é cobrado para melhorar o rendimento do Corinthians como mandante. O time só ganhou metade dos oitos jogos que disputou em casa. Foram quatro vitórias, três empates e uma derrota. Com essa campanha, desperdiçou sete pontos caseiros. A diferença para o líder Cruzeiro é de cinco pontos.

 

Rei do empate

Causa irritação em conselheiros do clube a quantidade de empates do alvinegro no Brasileirão. Foram sete em 15 rodadas. Ninguém empatou tanto nesta edição do Nacional. No ano passado, o campeão Cruzeiro obteve o mesmo número de empates em 38 partidas. O entendimento dos críticos é de que o técnico prefere o empate a se arriscar em busca da vitória. Essa era exatamente uma das principais queixas da diretoria contra Tite no ano passado. Na ocasião, o clube terminou o Brasileirão com 17 empates.

Língua afiada

A diretoria não gostou de o treinador cobrar publicamente a contratação de Nilmar. Avalia que até agora atendeu a todos os pedidos do técnico, assim ele deveria ser mais paciente. Além disso, as declarações podem gerar pressão da torcida pela contratação num momento em que a grana está curta.

Também não pegou bem a afirmação do treinador durante o programa “Bem Amigos”, do Sportv, de que Petros cometeu um erro no lance com o árbitro Raphael Claus, durante jogo com o Palmeiras. A análise dos críticos é de que as palavras do técnico fortaleceram os membros do STJD que queriam punir o jogador por 180 dias, o que aconteceu. Mano disse: “Ele cometeu um erro, e a gente não pode contrariar a imagem. O que não gosto é de crucificar, não gosto da precipitação. Alguns dizendo que ele foi covarde. Quem falou que ele foi covarde? Vamos devagar. Vamos deixar as pessoas julgarem”.


Santos tenta nova antecipação na Globo. Venda de atleta também é opção
Comentários 27

Perrone

Cobrado por impostos atrasados e com dificuldade para pagar em dia direitos de imagem de seus jogadores, a diretoria do Santos vai tentar uma nova antecipação de receitas referentes às cotas de transmissão pagas pela Globo. Além disso, o alvinegro está de portas abertas para interessados em comprar seus atletas. O problema é que, pelo menos até terça-feira, só tinha recebido sondagens, nada firme.

Em reunião do Comitê de Gestão, na semana passada, mais uma vez foi discutido o aperto financeiro na Vila Belmiro. Entre os temas, estava existência de impostos não pagos. A maioria na gestão de Marcelo Teixeira, mas uma pequena parte na atual administração, de acordo com um dos participantes do encontro. Causa calafrios em alguns membros do comitê a lembrança de que eles podem ser responsabilizados pessoalmente por tributos recolhidos e não repassados aos cofres do Governo. Como aconteceu com o corintiano Andrés Sanchez, acusado de crime fiscal.

Esse fantasma faz com que a ideia seja usar parte da nova antecipação para quitar uma parcela dos tributos, ainda que mínima, pois o dinheiro precisa render para direitos de imagem e outros compromissos. Se possível, também está nos planos vender ao menos um atleta.

Nos próximos dias, por exemplo, o clube tem pela frente uma parcela de luvas para Thiago Ribeiro. Para pagar salários e direitos de imagem, o Santos pinga cerca de R$ 4,5 milhões por mês. Mas a manutenção do departamento de futebol inteiro, contando luvas parceladas e outros gastos esporádicos, consome pelo menos cerca de oito milhões mensais.

Essa não é a primeira vez neste ano que o time da Vila Belmiro grita por socorro nos corredores da Globo. Em março, o Conselho Deliberativo autorizou a antecipação de R$ 53 milhões referentes aos contratos de transmissão com a emissora.

A direção, então, pediu antecipação de R$ 15 milhões. Pelo menos uma parte do dinheiro chegou em abril, num momento dramático. Os jogadores entravam em campo nas finais do Campeonato Paulista com direitos de imagem atrasados.

O valor pedido na época é igual à quantia cobrada pela União em dívidas referentes a uma série de impostos que estariam atrasados e foi revelada pelo Blog do Rodrigo Matos. Esses débitos são questionados pela diretoria santista. Existem outras cobranças.

`Procurado pelo blog, por meio de sua assessoria de imprensa, Odílio Rodrigues, presidente do Santos, disse que não falaria sobre o assunto.

Vale lembrar que as antecipações de cota de TV, geralmente, são feitas da seguinte forma: o clube pega o empréstimo num banco e a emissora se compromete a repassar o valor para a instituição financeira na data combinada.


Punido pelo Banco Central, Palmeiras indica imóvel para penhora em garantia
Comentários 49

Perrone

Multado pelo Banco Central sob a acusação de operação ilegal de câmbio, o Palmeiras ofereceu pelo menos um de seus imóveis para penhora como garantia de pagamento. O valor da execução atualizado até julho é de R$ 535.813,39.

O Banco Central alega que o clube cometeu infração prevista no decreto 23.258 de 19 de outubro de 1933. Ele trata como operações de câmbio ilegítimas as operações financeiras internacionais que não passarem por bancos habilitados a operar em câmbio.

O caso se arrasta desde 2007. Em 13 de agosto de 2013, a 6ª Vara de Execução Fiscal de São Paulo determinou que o Palmeiras fosse notificado sobre a obrigação de pagar a dívida ou de apresentar bens para a penhora como garantia. Mas houve demora para o clube ser notificado. Somente no último 12 foi publicado despacho da 6ª Vara determinando que o Banco Central diga se aceita o imóvel ofertado pelo Palmeiras para penhora. Pela publicação, porém, não é possível saber qual o bem oferecido e nem se foi mais de um.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o clube disse que não comentaria o assunto. Por sua vez, a assessoria de imprensa do Banco Central confirmou a execução, mas disse que ainda não recebeu a notificação para analisar se aceita o bem como garantia.

Abaixo, dados do processo.

Reprodução

0012478-45.2013.4.03.6182
Autos com (Conclusão) ao Juiz em 13/08/2013 p/ Despacho/Decisão
*** Sentença/Despacho/Decisão/Ato Ordinátorio
Cite-se para, no prazo legal de 5 (cinco) dias, pagar ou indicar bens visando à garantia da execução.
De início, tente-se a citação por meio postal e, para o caso de não ser alcançado o intento, ocorrendo juntada de “AR negativo”, determino que a Secretaria realize consulta pelo sistema WebService da Receita Federal.
Se da aludida consulta resultar o encontro de endereço diverso, em comparação com aquele indicado originalmente, renove-se a tentativa de citação por via postal.
Sendo confirmado o mesmo endereço, expeça-se mandado para cumprimento por analista judiciário – executante de mandados e, se assim for conseguida a citação, considerada a hipótese de omitir-se a parte citada, do mesmo mandado já constará ordem para livre penhora, até o limite do valor em execução, avaliando-se e registrando-se.
Para a hipótese de nem mesmo ocorrer citação, por ausência do executado de seu domicílio ou sua ocultação, já fica aqui determinado o arresto de bens com valor total correspondente à dívida exequenda, incluídos os acréscimos pertinentes, também se fazendo o necessário para avaliação e registro daquela constrição.
Uma vez realizada a citação pelo Correio, se não houver pagamento e tampouco garantia, a Secretaria deverá expedir mandado para penhora e atos consequentes (avaliação e registro).
Estando completada a penhora, intime-se quanto ao prazo de 30 (trinta) dias para o oferecimento de embargos.
Ao final, independentemente do resultado de todas as diligências determinadas nesta oportunidade, dê-se vista à parte exequente para dizer sobre o seguimento do feito, em 30 (trinta) dias.
Ato Ordinatório (Registro Terminal) em : 13/08/2013

 

 

0012478-45.2013.4.03.6182
Autos com (Conclusão) ao Juiz em 12/08/2014 p/ Despacho/Decisão
*** Sentença/Despacho/Decisão/Ato Ordinátorio
Manifeste-se a exequente sobre o(s) bem(ns) ofertado(s) à penhora.
Ato Ordinatório (Registro Terminal) em : 12/08/2014

 

 

 


Placa referente a ‘Mundial’ palmeirense é achada após parar em ferro-velho
Comentários 68

Perrone

A Polícia Civil de São Paulo recuperou uma placa referente ao título da Copa Rio de 1951 que havia sumido de uma casa alugada pelo Palmeiras para guardar troféus e outras relíquias durante obras no clube.

De acordo com a assessoria de imprensa palmeirense, a diretoria percebeu o sumiço e soube que uma pessoa estava tentando vender a peça. Então, acionou a polícia, que localizou a placa com uma pessoa que disse ter comprado o objeto num ferro-velho. O caso ainda está sendo investigado pela 23ª Delegacia de Polícia, que pretende descobrir como o objeto foi retirado da sala e por quem.

A placa foi encomendada pelo clube para homenagear os torcedores do Rio que apoiaram o time na conquista no Maracanã. Na semana passada, a Fifa reconheceu o torneio como o primeiro de abrangência mundial entre equipes da Europa e da América do Sul. Mas ressaltou que o primeiro Mundial de Clubes reconhecido pela entidade foi o de 2000, vencido pelo Corinthians.

A peça encontrada já está em poder do clube. A equipe da 23ª DP que cuida do caso tem o delegado titular Willian Moitinho Navarro, o chefe dos investigadores Jorge Henrique Luiz Pinto e Oswaldo Cardoso Filho, chefe dos escrivães.


Conselheiros do Palmeiras apontam racha entre brasileiros e estrangeiros
Comentários 56

Perrone

Para conselheiros influentes do Palmeiras há um racha no vestiário alviverde. Segundo quatro membros do Conselho Deliberativo ouvidos pelo blog, existe uma divisão entre estrangeiros e brasileiros.

O clube tem oito jogadores de fora do país. Pelos relatos, esse grupo pouco se mistura com os brasileiros. E a disputa por posições na equipe gerou uma animosidade entre as duas turmas.

Um dos ouvidos pelo blog argumentou que a comemoração de Henrique no gol de pênalti na derrota por 2 a 1 para o São Paulo, no domingo, é um indício da divisão. O brasileiro empurrou o argentino Allione, que tentou abraçar o colega. Na semana passada, Allione negou em entrevista que exista esse racha.

Em sua conta no twitter, o ex-diretor jurídico do Palmeiras, Piraci Oliveira, abordou o assunto: “Eu já havia dito que o vestiário estava rachado”, escreveu ele logo após o clássico de domingo.


Um mês depois do Mundial, Curitiba finaliza licitação de obra da Copa
Comentários 26

Perrone

Na última terça, quase um mês após a final do Mundial, o Diário Oficial da União divulgou resultado de licitação de obra da Copa do Mundo em Curitiba. Só agora foi definida a empresa que vai construir a Central de Atendimento ao Turista no Jardim Botânico.

Paulo Roberto Colnaghi Ribeiro, presidente do IMT (Instituto Municipal do Turismo) de Curitiba, culpa a burocracia pelo atraso na obra, que terá recursos do Ministério do Turismo. A contratação divulgada no Diário Oficial é no valor de R$ 439.500.

“Infelizmente, a burocracia é muito grande. Mas ficou combinado com o Ministério do Turismo que o que fosse legado para o turismo permaneceria”, declarou Ribeiro. Segundo ele, há ainda mais quatro obras da Copa para serem concluídas na cidade. “A gente tem a reforma da Praça Espanha, que já começou, acessibilidade nas estações da linha turismo, temos sinalização turística, que permaneceu no PAC da Copa, e reforma de 25 pontos da linha turismo. Independentemente de não terem ficado prontas para Copa, essas obras formam um legado importante porque ficam para a vida inteira”, disse o presidente do IMT.

Em nota enviada ao blog, o Ministério do Turismo, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que “por decisão do GECOPA (Comitê Gestor do Governo Brasileiro para a Copa do Mundo), as obras de infraestrutura turística que integram a Matriz de Responsabilidade da Copa do Mundo terão continuidade”. A nota diz ainda que “o entendimento é que a execução desses projetos constitui legado para moradores e turistas”

 


Já no primeiro turno Corinthians empata tanto quanto campeão de 2013
Comentários 14

Perrone

O empate em um gol com o Bahia foi o sétimo do Corinthians no Brasileirão. Ninguém empatou tanto na competição até a noite deste sábado.

Mas entender o que representa essa marca fica mais fácil com uma olhada na tabela do ano passado. O campeão Cruzeiro empatou sete vezes em 38 partidas, mesma quantidade que o alvinegro alcançou em 15 jogos eem 2014.

Caso mantenha esse ritmo, o Corinthians vai terminar o Nacional com cerca de 17 empates, como no ano passado sob o comando de Tite em campanha que rendeu a décima posição. É mais que o dobro de empates obtidos pelo campeão do ano passado. Ou seis a mais que o vencedor de 2012, o Fluminense, que empatou 11 vezes.

Outra referência é a campanha do Corinthians na conquista do título de 2011. Foram oito empates na competição inteira. Uma a mais do que o clube já registra antes do final do primeiro turno atual. Naquela oportunidade, a equipe dirigida por Tite perdeu nove confrontos. Em 2014, o Corinthians sofreu uma derrota até agora, para o Figueirense, e venceu sete duelos. O Internacional, que amanheceu o domingo na liderança, exibe quatro empates, nove vitórias e duas derrotas.


Cobrança pública de Mano por Nilmar incomoda diretoria do Corinthians
Comentários 101

Perrone

A diretoria do Corinthians está incomodada com o fato de Mano Menezes pedir publicamente mais um atacante. No caso, Nilmar.

Na última quarta, ele disse: “Estou satisfeito com os jogadores que temos. Só deixei bem claro que precisamos de mais um. A diretoria sabe que podemos ter ou não. Se não tivermos, quando aparecerem as convocações [para seleções], não vamos chorar, né?”.

Para os cartolas, Mano chorou de barriga cheia, pois foi atendido em praticamente todos os seus desejos. Por isso, querem que ele pare com a cobrança.

Os principais exemplos de que o clube transformou em realidade os sonhos do treinador são as contratações de Jadson e Elias, que eram vistos como peças que arrumariam o time.

Declarações públicas a respeito da necessidade de o time trazer mais um atacante deixam os cartolas numa situação delicada diante da torcida. Principalmente porque a grana está curta para contratar Nilmar. O teto salarial do clube é R$ 500 mil, valor recebido por Elias. Mas a oferta para o atacante deve ser de R$ 350 mil.

Por causa da falta de dinheiro no Parque São Jorge, pelo menos dois integrantes da diretoria são contra a vinda de Nilmar por entenderem que o jogador baterá o pé para ganhar um valor perto do que recebe no El Jaish, do Qatar. Os corintianos avaliam que o atacante ganhe entre R$ 800 e R$ 900 mil.

A promessa da diretoria é que não haverá nesta gestão um novo Alexandre Pato, que ganhava R$ 800 mil mensais e, emprestado ao São Paulo, recebe ainda R$ 400 mil do Corinthians.

Em relação a Nilmar, três dirigentes ouvidos pelo blog revelaram preocupação com o fato de o jogador já ter sofrido cirurgias nos ligamentos dos dois joelhões e estar com 30 anos. Isso reforça a decisão de não entrar em leilão pelo atleta, que interessa também ao Inter. E ajuda a mostrar a diferença como a diretoria corintiana e Mano enxergam a negociação com o atacante. Para os cartolas, a contratação é uma opção, que precisa ser viável. Mas para o técnico é uma necessidade.

O caso começará a ser solucionado na próxima semana, quando a direção alvinegra deve se reunir com os representantes de Nilmar.


Para Kalil, só em país de m… prisão de presidente do Bota pode ser pedida
Comentários 57

Perrone

O blog telefonou para Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG, a fim de saber sobre reunião com a Globo da qual ele participou. Ele até falou sobre o encontro, mas estava mais interessado em defender Maurício Assumpção, presidente do Botafogo, que em entrevista para ESPN admitiu ter parado de recolher impostos a espera da aprovação do projeto de lei que vai refinanciar dívidas fiscais dos clubes.

Mais irritado do que de costume quando fala com este blogueiro, o cartola expôs seu raciocínio: “Mandar prender um dirigente que é dentista, homem de bem, tem filho, tem mãe, tem família é só nesse país de merda. Tá boa minha entrevista? É muito bonito falar mal dos clubes. Mandar botar presidente na cadeia agrada à torcida. Quero saber, se o futebol brasileiro acabar quem fala mal vai viver do que? De Partido Comunista Brasileiro? Ele acabou.”.

Pelo tom da revolta até parece que o presidente do Botafogo teve sua prisão decretada. Não teve. O máximo que aconteceu foi o Blog do Juca Kfouri tratar do assunto e dizer que o dirigente do Bota “ainda está solto” depois de confessar ter parado de pagar impostos, entre eles, provavelmente os que são retidos na fonte.

O que fica claro com as furiosas declarações de Kalil é o seu raciocínio simplista sobre a imprensa: se ganha dinheiro para falar sobre futebol, tem que falar bem. Quanto melhor para o futebol, melhor para o jornalista esportivo. Mais empregos, melhores salários. Simples assim.


Conselheiro sugere que Palmeiras pague presidente com jogadores
Comentários 19

Perrone

José Corona, conselheiro do Palmeiras que votou em Paulo Nobre, mas hoje é opositor, faz campanha contra o plano apresentado pelo presidente para receber cerca de R$ 105 milhões que emprestou ao clube em até 15 anos. Ele defende que para quitar a divida o alviverde dê para o cartola direitos econômicos dos jogadores que o dirigente contratou.

“Ele vai levar o Leandro de presente, o Pablo Mouche, Tobio, Mendieta, Henrique… Ele que trouxe sem ouvir ninguém, que fique com esses jogadores, e venda pra abater da dívida”, disse Corona.

Nobre começou nesta semana a fazer reuniões com conselheiros para explicar a forma sugerida para o clube lhe pagar cerca de R$ 100 milhões. Será em até 15 anos com juros inferiores a 1% ao mês. Ao mesmo tempo, Corona pede que os conselheiros não aceitem a proposta e defendam o pagamento com jogadores. A forma de quitação da dívida será votada pelo Conselho Deliberativo no início de setembro.

Em 19 meses no cargo, Nobre contratou 36 atletas. A equipe ocupa a 14º colocação do Brasileiro.